segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Porque eu estou voltando!

Eu não vou falar nada. Hoje quero apenas dividir, com todos que acompanham o Uomo, a mistura de sentimentos que é regressar. Para embalar o momento, Simone... Porque eu tô voltando, para começar de novo!

domingo, 18 de dezembro de 2011

Merry Christmas?!

Depois que perdi meus avos, o Natal deixou de ter encanto para mim. Acho festas de Fim de Ano algo no mínimo depressivo. Essa estória de fazer balanço do ano que passou e participar de festinhas para cumprir tabela não faz minha praia. Sem contar que não tolero esse Natal capitalista onde o verdadeiro motivo de sua existência fica ofuscado pelos pisca-pisca e shoppings abarrotados de gente querendo comprar tudo o que não comprou durante o ano todo. Como se fosse a ultima oportunidade de "ter", sem se dar conta da oportunidade que se perde na urgência de "ser". 
Ontem, o Natal praticamente se materializou em minha frente. Árvores de Natal gigante, pista de patinação ao som de músicas natalinas, neve (muita neve!) e toda uma atmosfera de um verdadeiro Natal nos USA. Já havia comentado em outro post que nenhum local tem mais cara de Natal do que os USA. Ontem diante de toda aquela atmosfera natalina foi que vim dar-me conta de que o fim do ano havia chegado e que daqui a uma semana será Natal. De certa forma, já era para ter-me dado conta, desde que, aqui em Pittsburgh é curioso como as pessoas levam a sério essas festas familiares. As casa, os carros e até mesmo as pessoas se preparam e enfeitam-se para tal. Entre as casa, acho que tem uma competição para saber qual a mais enfeitada e bonita e quanto as pessoas, estou cansado de ver boinas vermelhas de Papai Noel sendo usadas a 3x4, como se fosse última moda. Sem contar os carro com girlandas muito bem ornadas no para-choque. Contudo, acredite que para mim, ainda não é Natal. Ainda estou esperando o espirito natalino encorporar em mim e fazer tudo ter um outro encanto. Por hora, assisto apenas todo esse encanto de luzes de forma passiva como se estivessemos em mais um semana sem nada de extraordinário por acontecer.

sábado, 10 de dezembro de 2011

Change

Quando passava pelo estágio 2 do processo de intercâmbio (o estágio 2 é composto por imensa saudade de casa e episódios repetidos de choro), eu li uma frase e ela ficou na minha cabeça. De momento não entendi, mas hoje ela faz todo sentido para mim. A frase em questão foi: "Um homem não poderia banhar duas vezes no mesmo rio, porque o homem não seria o mesmo, nem o rio". Já essa semana, me deparei com um comentário, postado em rede social, que dizia mais ou menos assim: Primeiro nos sentimos saudade de casa e depois, quando voltamos, vemo que algo mudou, quando na verdade quem mudou, fomos nos.
O post de hoje é sobre isso mesmo, mudança!
O pensamento sobre o homem, citado acima, é de Heráclito de Éfeso. Segundo ele, tudo na natureza esta sujeito a ação do tempo e das transformações que isso poderia acarretar. Para Heráclito, essas transformações são resultados da luta contínua entre opostos. 
Há exatos três meses, escrevia algo sobre medo e transformações. Estava iniciando o processo da minha  viagem e via-me profundamente amendrontado e inseguro. Naquele momento, passava por experiências que só tornaram aqueles instantes ainda mais complicados, devido a descoberta de um tumor na mandibula. A imagem, colocada no post, sobre ser engolido por um furacão, talvez seja o que melhor definiria aquele momento. Passados três meses, poderia dizer que fui engolido pelo furacão e que alguns conceitos, como que passados por um liquidificador, tornaram-se pastosos demais para serem vividos concretamente. Acho que ainda não posso mensurar o quanto tudo em mim foi bagunçado. Precisarei voltar para que eu possa avaliar com mais cuidado. Entretanto, é fato que me banhar nas águas do rio hoje, já não será a mesma coisa, porque o homem mudou e o rio passou. 
Voltar será tão importante quanto ter partido. Poder ver todo o ontem que deixei e defrontá-lo com todo o hoje que existe, com certeza irá bagunçar muito mais. Contudo, não tenho mais medos de furacões. 
Terminei o post antigo, desejando que tudo vira-se pó, cinzas e saudades. Esses talvez foram os ingredientes da construção de uma nova ponte. Com relação a fenix corajosa... essa vocaliza alto, em razantes vôos no céu! 

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Do you marry me?

Então, ontem quando entrei no Facebook tinha um recado pra mim: Uomo, vi esse vídeo, segue como sugestão para o blog. O vídeo é esse aí em baixo, cujo nome é It's time. Eu já  havia assitido, desde que todos os dias religiosamente visito o blog do Luciano Guimarães (Muque de Peão) e puder tomar conhecimento, do vídeo,  lá mesmo. O vídeo é muito bonito e tava com uma vontaaaaaaade do postar ele aqui... Foi então que descobri um outro vídeo. O primeiro vem da Austrália e o segundo vem do Canadá.
Os vídeos dispensam que eu faça aqui qualquer comentário sobre o assunto, eles já falam tudo o que eu penso a respeito. Enjoy!

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Then it's Christmas

Final de semana retrasado foi a abertura do Natal. No centro da cidade teve queima de fogos e Christmas Parade. Incrível como americano gosta de uma Parada. Tudo é motivo para fechar uma avenida e uma fanfarrra sair atrás de um monte de balões gigantescos. Não, não fui ver nenhuma Paarada, não tenho saco e tempo. Por sinal, ultimamente tempo aqui para mim, vale muito mais do que ouro. Tenho andado tão ocupado, que estou me rendendo ao sanduíche nosso de cada dia. Muito mais rápido.
Semana passada também tivemos o feriadão do Thanksgiving. Incrível, apenas eu e chinese's people estava trabalhando e pôde se deparar com uma cidade fantasma. Recordo que fui a pé para casa e me senti o Will Smith no filme I am lenged, uma viva alma não encontrava na rua. Na sexta, foi o famoso Black Friday. Na verdade a Black Friday é o ponta pé inicial das compras de final de ano aqui e algumas coisas ficam bem em conta.
O interessante é como a paisagem em um mês modificou totalmente. Isso em decorrência do clima, que também vem mudando. Tem estado cada vez mais frio. Já peguei a mania deles e estou sempre querendo saber como está o tempo e como ficará. Hoje mesmo fez 1°C e segundo as previsões, daqui para segunda-feira chegaremos a -2°C. E olhe que já estava acostumando, achando 12°C quente. Se costumeiramente, acordar pela manhã já é um sacrifício atroz para mim, nesse frio então, tem sido uma maldade sem precedentes.
Aqui e ali vejo algo que lembra o Natal. Por sinal, sempre achei e agora só ratifico, Natal só tem cara de Natal aqui. Cara e cheiro. Sim, porque na frente de alguns supermercados vende-se aqui, Pinheiros para Árvores de Natal, Pinhas para decorar e lenha para lareiras. Gente, é um cheiro de baunilha amadeirado tão gostoso! Só tá faltando nevar, mas isso não deverá tardar.

domingo, 27 de novembro de 2011

Chinese are colonizing America

Coisa rápida... Hoje chegando a uma parada de ônibus, observei a seguinte frase pichada: "Chinese are colonizing America. we're some!". 
Aqui em Pittsburgh, muitas vezes andando na rua, sinto-me quase na China ou Japão. Por toda parte tem um Nipônico ou Chinês. A maioria é estudante, poucas são as familias que vivem aqui realmente, segundo tomei conhecimento, entretanto eles são muitos e aos milhares. A frase escrita é bem interessante se tomado a questão de que a China é a grande economia mundial atualmente e sua relação com os USA andam um pouco tensa.   

sábado, 19 de novembro de 2011

You're brave!

Como têm dias que não posto nada, hoje vom falar sobre "coragem". Pouco antes de sair do Brasil, conversando com alguns amigos e colegas de trabalho, escutava algo interessante:
- Como você é corajoso. Parabéns e boa sorte lá!
Eu escutava e ficava cá com meus botões a pensar e procurar entender porque eu era tão corajoso. Parecia que eu era um São Jorge desatento, sem noção do dragão que iria ter que derrotar. E sempre entre os inúmeros desejos de boa sorte, sempre a expressão "que coragem essa sua!".
Ok! Eu era mesmo o São Jorge desatento que não tinha noção do dragão que teria que enfrentar. Hoje eu entendo, é preciso coragem sim. E entenda, não é coragem pra coisas banais como lidar com uma outra língua ou ter que enfrentar 10 horas num avião e ainda fazer cara de "não terrorista" na imigração. Isso é fácil, por mais dificil que seja, você consegue tirar de letra. Como diz uma amiga: agente sempre de livra de alguma forma. O termo coragem aqui, deve ser entendido de forma mais profunda. É a coragem de saber o quanto você é forte, mas também o quanto você é fragil. Coragem de, embora os novos amigos e vínculos, observar que você está sem seus referenciais e aqui estou incluindo a questão familia sim. Existi algum outro referencial mais importante? O momento é você por você. Coragem pra enfrentar a saudade de tudo e de uma rotina, por mais enfadonha que ela fosse. Coragem de chorar, se ver destroçado e ir pra cama dormir para acordar no outro dia dizendo: Sim, eu posso! Coragem para enfrentar os medos de sempre e assumir as verdade que estavam ali esperando em algum canto da prateleira da alma. Talvez toda essa coragem surgisse sem que fosse preciso nehuma viagem. Contudo, a diferença do veneno para o remedio é a dose.
Se estava desatento, hoje sei o tamanho do dragão. E confesso que muitas vezes, omito o seu real tamanho para mim mesmo, para que possa continuar a enxergá-lo na minha altura e assim duelar de igual para igual. Talvez as expressões de espanto pela "minha coragem", não conseguissem atingir a extensão e profundidade que alcançei. Contudo, isso é normal, só sabe o tamanho do dragão quem enfrenta ele. O bom é que essa viagem foi quase como fazer o caminho de Santiago de Compostela, um encontro comigo mesmo.
É preciso ter força, ter raça, ter gana sempre...
Não sou nenhuma Maria, Maria, mas essa música do Milton Nascimento bem que poderia mudar pra José, José.

domingo, 13 de novembro de 2011

Prós e Contras

Tenho achado engraçado, que uma pergunta tem me perseguido. Quase sempre quando falo com meus parentes ou amigos no Brasil, alguém me indaga: 
- E então, já virou Americano?
Como assim, virei Americano? Eu sou Americano! Não é porque nasci abaixo da linha do Equador que deixo de sê-lo. Entretanto, sou Americano e além de tudo sou Brasileiro.
Hoje estou completando minha terceira semana aqui e acredito que minha crise existencial alone and depressed já foi superada. Já consigo olhar tudo de forma menos dramática. Ontem, conversando com uma amiga, ela me indagou se era melhor viver aqui ou no Brasil. Pensei um pouco, respirei fundo e respondi retencioso: 
- Depende...
Acho cedo para falar sobre isso e certamente daqui a alguns meses meu conceito a respeito do assunto terá passado por muitas reavaliações. Mora aqui não é ruim, entretanto, quem disse que viver no Brasil é pior? Acho que não tem nada melhor, como a nossa casa. O local onde por mais diferente que sejamos, todos se entendem e no fundo são iguais. Por incrível que pareça, está fora me faz olhar melhor o local onde nasci. Não tem como não fazer comparações e observar que aqui encontro qualidades que o meu país não tem, ao mesmo tempo que olho para o meu país e vejo nele qualidades que aqui nunca existirá. Sou de um tempo onde meu pai me dava uma nota de 1.000 cruzeiros pra comprar gibis e doces. A inflação consumia tão rápido o valor das coisas, que logo aquela nota não serviria pra nada, a não ser pra colecionar. Hoje, 1.000 reais foi o quanto comprei de dólares pra poder viajar. Vivemos uma época melhor no Brasil, mas não a ideal. Ainda temos muita miséria e gente em situação difícil. E sem esse  papo eleitoreiro de que depois do Real 40 milhões de brasileiros entraram para classe media. Aqui pobre é quem ganha menos de 3.650 reais. Que pobre no Brasil ganha isso ou menos que esse valor mensal? De todo modo é bom mudar nosso conceito de que aqui não tem pobreza. Tem sim! Outro dia mal acreditei quando sai do supermercado e um senhor me parou e me pediu 1 dólar pra poder comprar algo para comer. Muitas famílias aqui, viram seu padrão de vida escorrer pelo ralo. Eles dormiram e acordaram com casa hipotecada sem poder pagar financiamento, sem poder pagar plano de saúde, transporte, escola e desempregados. Resultado da última crise econômica que mostrou a fragilidade da "grande economia mundial".
Logo, tanto aqui como lá, tem seus prós e seus contras. Cabe pesá-los e ver o que vale mais a pena.
Deixa então eu tranquilizar os mais apreensivos... Sim, eu estarei voltando logo, logo para o abraço dos amigos e parentes. 
Qnto ao futuro... isso pertence ao futuro.

sábado, 12 de novembro de 2011

Beer!

Ontem tive alguns momentos de grande prazer nessa minha viagem (falando assim vai parecer que minha vida por cá, tem sido um sofrer sem fim, mas não, pelo contrário). Como eu estava falando, ontem tive momentos de enorme prazer, tomei cerveja! Nem sabia mais qual gosto tinha uma cerveja. E ter esquecido o gosto não foi tão ruim assim, pelo contrário, melhor não podia acontecer. Sim, porque depois que vc toma cerveja aqui, vc consegue ampliar seu conceito sobre cerveja. Por exemplo, comparando ao que se toma no Brasil cheguei a conclusão que nos tomamos uma garapa fermentada. Segundo, que cerveja não precisa ter necessariamente gosto amargo de cevada e malte (como muitos dizem, gosto de xixi), ela pode ser doce. E o melhor, vc não precisa beber uma grade pra ficar chamando urubu de meu louro, quatro bons copões (acho que pra mim) são suficientes. Heineken é cerveja de veado (no Brasil tbm!) por ser muito fraca, algo comparado a ir pra uma festa e toma caipifruta. Existem cerveja em garrafa aqui,  mas o que me indicaram é vc pedir um copão. A cerveja é muito mais encorpada, deliciosa, pra um bom degustador é possível pedir cerveja e ficar adivinhando de que ela é feita, porque os gostos são os mais variados. Cada uma tem seu percentual de álcool que varia de 3,5 a 7,5%. Fiquei tão efusivo que fui logo perguntando se encontrava no supermercado (tolinho!) e tive que ligar o sinal vermelho. Primeiro, só me serviram cerveja pq eu mostrei minha identidade, caso contrario negativo. Segundo, aqui beber na rua é crime. Bebida só no bar ou em sua casa e no segundo caso vc deverá transportar ela muito bem embrulhada, por que se pegam vc com bebida, vc vai preso. 
Lógico, existem pontos comerciais específicos para poder adquirir o liquido precioso. Evidente que já me informei onde fica a toca, pra poder me abastecer.
Hoje é sábado e quero fazer um brinde a Santo Arnoldo, padroeiro da cerveja. 
Ah, vc não sabia? Pois senta que lá vem história:
No século 14 a peste negra se espalhava pela Europa matando 90% das pessoas que infectava. Quando a epidemia chegou à cidade de Oudenburg na Bélgica, o abade local proibiu o consumo de água e obrigou os cristãos a beber só cerveja (a cerveja era menos contaminada que a água). Por incrível que pareça deu certo e muitos deles sobreviveram à peste. O abade foi canonizado, e virou o padroeiro da cerveja - Santo Arnoldo (Super Interessante, Setembro de 2008).

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Technologies and Fitness

Pretendo ser breve hoje. 
Dois breves comentários, um está relacionado a questão de tecnologias semelhantes a Iphone, Ipods, Ipads, Nãopod, Nãopad. Durante minha caminhada ida e volta pra casa é possível observar como esse tipo de tecnologia está presente na vida de todos. Os aparelhos touch estão em todas as parte, com todo tipo de gente, não importando a idade. O aparelho é como uma extensão biomecânica, um suporte capaz de conectar todos em diferentes lugares. Embora pareça que todos estão completamente desconectados do mundo com seu headphone. Nada diferente do Brasil, onde é possível encontrar mais aparelhos celulares do que gente. A diferença está justamente, no aparelho e na liberdade e tranquilidade com que as pessoas andam com ele na rua. Aqui pra nos, a tecnologia pode até está presente no Brasil, entretanto duas realidades não é possível negar, a primeira é que nem todos conseguem ter acesso a essa tecnologia por ser ainda muito cara e a segunda é que aqueles que podem ter acesso, não andam com seus aparelhos com a mesma liberdade e tranquilidade na rua. Afinal não é muito improvável que "O Dono" apareça e diga:
- Perdeu doido...perdeu...passa esse negócio pra cá... Otário!
A segundo comentário é relacionado a saúde. Não importa a hora, sempre tem gente fazendo cooper. E talvez esse seja o segredo de até agora não ter visto gente feia por aqui. Encontro sempre muita gente correndo. Não existe um pista para que façam, nem muito menos eles se arriscam em competir com os carros. A corrida acontece pelas estreitas calçadas. As vezes acho de certa forma perigoso uma pela própria calçada estreita e algumas vezes desniveladas e outra pelas muitas folhas no chão (estamos no outono) que pode ser responsável por algum tipo de contusão.
Enfim apenas observações do local.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

What do you do for lunch every day?

Hoje eu quero falar sobre comida.
Fui eu que fiz!!!!
Quando pequeno eu era ruim de boca. Não gostava de nada e minha mãe sempre teve certa dificuldade em me fazer comer. Lembro que tomei litros dos famosos estimuladores de apetite. Certa feita, ensinaram pra minha avó uma receita de Biotônico Fontoura (alguém lembra?!), ovo de pata, ovo de codorna e leite condensado (pra mim isso não é estimulador de apetite, isso estimula outra coisa!!!). Lembro que tomei essa bomba por um certo tempo e embora, o leite condensado, o gosto era terrível. Entretanto, não adiantava muito, continuava magrinho e ruim de boca. Quando maior, a situação mudou, tornei-me o exemplo vivo do ditado "magro de ruim". Comia de tudo e de tudo muito. Se era luxento com comida não me lembrava. Ainda hoje, continuo bom de boca e me considero o tipico nordestino em relação a comida. Comida tem que encher bucho, logo nem me venha com um prato de salada dizendo que isso satisfaz que não entro nessa. O que enche bucho é feijão, arroz, carne, sarapatel, buchada de bode, chambaril... ai, ai que sonho!
Foi assim que fui criado. Quando guri, acordava e meu primeiro bom dia era um prato de macaxeira (aipim) com rabada. No almoço era pirão de cozido e na janta era um cuscuz de massa de mandioca com coco ralado. Afinal, quem foi criado no interior é criado dessa forma, cresce comendo essas coisinhas light e diet.
Bom, venho eu pra USA e o que encontro? Sanduíche com batata frita. Sanduíche, sanduíche e sanduíche.
 - Sim, mas cadê o feijão, o arroz, a carne? Cadê a macaxeira, o cuscuz de milho? 
- Não tem. Tem sanduíche!
É isso mesmo. Nunca vi comer tanto sanduíche. Outro dia entrei num restaurante pra comer algo e logo em seguida entrou uma senhora com umas três crianças, que supostamente eram seus filhos. Entendi, quando o menor disse querer almoçar (lunch). Fiquei observando e pra meu espanto a senhora serviu pras crianças pipoca, sanduíche e três enormes sacos de batata frita. Perguntando a pessoa que me acompanhava soube pra minha estupefação completa que era normal, afinal era hora do lunch
No supermercado já tentei comprar arroz, feijão mas é sempre muito caro. Feijão mesmo vem em lata, parece comida de gato. Carne você compra com tempo certo pra se estragar, se você não cozinhar logo, é muito provável você vim a perder. E advirto, não coma se tiver passado mais do que uma semana, mesmo em freezer e mesmo que pareça em bom estado. Você corre o risco de ter a pior experiencia de sua vida. Frutas, verduras parece que acabaram de sair do laboratório de OGM (Organismo Geneticamente Modificado). A salvação é comida congelada, uma briga de foice entre as empresas, tem de todo tipo. Já procurei uma buchada congelada, mas ainda não encontrei. Enfim, tenho sentido certas dificuldades em me alimentar. Final de semana, fiz essa massinha básica. Um macarrão com azeitonas, molho de tomate, queijo mussarela, queijo gorgonzola e carne moída. Foi a glória.
Por enquanto eu fico sem meu feijão com arroz, mas logo, logo me renderei ao prazer de um típica comida brasileira.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Homofóbicos sim!

"Três travestis são mortos no Recife em um único final de semana."

"Jovens são colocados em um carro e ameaçado de mortes por homens em palio branco. As vítimas sofreram lesões corporais, o motivo foi o fato deles serem homossexuais."

Essas e outras noticias de intolerância ocorrem aos montes e talvez você não saiba, porque a grande maioria das pessoas acredita que Recife, não é uma cidade homofóbica (?!). Acredita que nos vivemos numa cidade onde parece não ter gays ou que Recife é uma cidade que deveria ser o exemplo de tolerância. Paras as autoridades três travestis serem mortos em um único final de semana, não é considerado homofobia, pois os assassinatos estão relacionados com drogas, tráfico e prostituição, não podendo ser considerado crime relacionado a ódio ou intolerância. 
O caso dos jovens, citado acima, fiquei sabendo depois que um colega postou comentário aqui no blog. Pior que ele falou uma coisa certa, "isso não é noticia que dê manchete". O que talvez dê uma notinha em algum jornal é deixar ameaças em porta de banheiro de movimentado shopping da cidade por algum grupo Skinhead. Pior que até isso é abafado, afinal a direção do shopping tem seus interesses econômicos. 
Também acho que homofobia não merece manchete, que os Bolsonaros e Malafaias da vida não merecem um tantinho de credito que seja. Entretanto, também acho que não dá pra tapar o sol com a peneira. Não dá pra ver casos e mais casos de agressões e bullying contra homossexuais ocorrendo na cidade e acreditar que não se trata de intolerância. Não dá pra ver jovens sendo ameaçados ou até mortos e pejorativar ou banalizar  o fato  relacionando ele a drogas e prostituição. Esse tipo de conduta é fruto de uma sociedade  que acredita que ser homossexual seja motivo de marginalização. Queria muito que Recife fosse o exemplo de tolerância, mas não é.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Supermarket

Então, como disse no post anterior, ir ao supermercado continua sendo muito divertido. Eu sei, eu sei, parece depoimento de gordinho, mas os motivos são outros e não a comida. Ir ao supermercado é divertido justamente por ser o momento onde mais me relaciono com as pessoas aqui. É lógico que na universidade tbm rola, mas lá o papo é cientifico. No supermercado fica algo mais informal e termino por observar o comportamento, a forma de se relacionar das famílias que vão juntas fazer compras e como as pessoas do local convivem, sem contar que aprendo a me comunicar tbm.
E nessas minhas idas e vindas ao supermarket não posso deixar de fazer minhas observações: 
Primeiro, todos aqui são muito educados. O pessoal vive com o sorryexcuse me e o have a nice day na boca o tempo todo. Comentário bobo? É não filho. Qntas e qntas vezes vc ta no supermercado ai no Brasil e passam com o carrinho de compras na sua frente quase lhe atropelando. Quem não já encontrou aqueles que não pedem nem licença e passam na sua frente na fila do caixa, com cara de paisagem. Quem já não estava na faixa pra atravessar, com sinal fechado e mesmo assim o motorista além de não dá seta que vai entrar (no caso de algum cruzamento por exemplo), muitas vezes quase lhe atropela. Aqui educação e civilidade é coisa tão rotineira e habitual que as vezes fico estranhando.
Segundo, todos são muito simpáticos. É um povo que vive rindo pra vc o tempo todo. Onde vc passa, seja na rua, ou no ônibus tem sempre alguém que olha pra vc e sorri de forma afável. Igual ao Brasil que se vc olhar muito pra alguém das duas uma, ou vão pensar q vc é um ladrão ou que vc está com segundas intenções (Gente, lógico que o Brasil é imenso e isso depende de local pra local, no meu caso, o local é Recife).
Terceiro, por Nossa Senhora que povo bonito! Seja homem ou mulher, são todos lindos. Eu acho que o segredo é o frio. Eu estava procurando alguém bonito, agora eu tô procurado alguém feio e é difícil encontrar. Pior que acho que a primeira pessoa feia que eu encontrar vou ficar com pena, pq no meio de tanta gente bonita, ele deve sofrer de um complexo de rejeição terrível. Ai, ai... tá bom vai. Era pra ser um post pequeno e já virou quase um livro. Depois eu volto com mais.

domingo, 30 de outubro de 2011

Snow and loneliness

Ontem amanheceu nevando. Estranhei o frio no quarto, maior que nos outros dias e ao levantar da cama e olhar pela janela deparei-me com flocos de gelo que caiam do céu. Foi a primeira vez que pude ver o fenômeno e fiquei encantado. O dia se arrastou frio e não tive coragem de pisar o pé na rua. Não nevou nem 1/3 do que costuma nevar aqui, mas preferi passar o dia em casa, curtindo uma comida quente, família e amigos pela internet. Hoje amanheceu mais quentinho e fui fazer algumas compras de supermercado. Quentinho é modo de dizer. Pra que vc tenha uma ideia, o frio era tanto que saia fumaça da minha boca. Aos poucos vou entrando no ritmo de vida daqui. E por incrível que pareça foi muito divertido a simples ida ao supermercado. A solidão começa a mostrar seu lado frio e sem graça. Hoje fazem uma semana que estou pelas bandas de cá e já pude experimentar tantos sentimentos diferentes. Com certeza os que menos gostei foi o sabor saudade e mais recentemente solidão. Durante a semana, tenho tantas coisas pra fazer, que nem dá tempo de pensar se estou só ou não. Contudo, final de semana a coisa complica. Como coloquei nos posts anteriores essa é uma importante oportunidade de crescimento pessoal. E tem sido. É curioso notar como cada dia descubro algo sobre mim, o qnto posso e o qnto ainda estou preso a conceitos e ideias. Ainda é cedo pra dizer, mas algo acontece no meu coração e nem preciso cruzar a Ipiranga com avenida São João. Ainda continuo na luta da comunicação, embora sinta que aos poucos fica fácil entender, embora não seja falar. Continuo achando graça das dificuldades e vejo em todas uma oportunidade de aprender. É lógico, as vezes bate um medo, a cabeça se nega a querer enfrentar as situações, mas o coração e a necessidade me empurram para elas. Enfim, é a vida. E ela as vezes é tão parecida com a que levava antes, quem nem dá pra se assustar tanto. 
Vou ficando por aqui, assim que tiver novidades volto... até breve

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Vai levando

Eu estou fora do país, mas isso não implica que eu esteja fora de orbita. Logo, estou muito bem antenado com tudo que anda acontecendo no meu Brasil velho de guerra. 
Essa semana soube da queda do ministro dos esportes, Orlando Silva. Lendo um post publicado no Acerto de Contas, tenho que concordar com a opinião do Pierre Lucena. Na verdade, acredito que a imprensa no país hj ela tem um poder e um alcance que vai além do seu papel de informar. Talvez por isso mesmo, tramite algumas leis e medidas que tentam limitar o papel da impressa. O que lógico não estou de acordo. Orlando Silva é o 5º ministro a cair em 10 meses da "Presidente Lula", como foi referida essa semana pela apresentadora do Bom dia Brasil da Rede Globo.
 No lugar de Orlando Silva entra Aldo Rabelo que nem bem entrou já aparece denuncias de doações de campanha de empresas patrocinadoras da Confederação Brasileira de Futebol. Até a copa começar, essa pasta do ministerio não deve esquentar muito a cadeira, a dança será intensa. 

Ah, soube hj tbm que o Nanini saiu do armário. Mas que armário? Ele vivia em algum que eu não soubesse? Sempre soube que o Nanini era gay, e daí? Na boa, pq ele precisa "sair do armário" ou dizer aos quatro cantos do mundo que é gay? Não pode simplesmente ser gay e viver isso tranquilamente? Até entendo que o fato dele ser uma pessoa pública a mídia faça um certo carnaval no assunto e coloca sobre a classe (artistas) o fardo desnecessário de prestar contas da sua vida. No meu entender, ele só é um artista, por sinal um excelente ator e ponto final. O que ele faz e com quem ele se deita, não é da minha conta. Nem deveria ser da sua!

Ah e a lavagem de roupa entre o Zezé e o Luciano que deram um piti em cima do palco, durante um show da dupla. Ainda é dupla?

Pra terminar, o advogado do empresário que usava lençol sujo dos USA para fazer forro de bolso de calça, disse que o cliente dele foi enganado. Que não havia sido isso que ele importou, tanto que mandou devolver para os USA dois contêineres. Esse povo pensa que engana quem?

Enfim, tá tudo normal na minha terrinha... Por sinal alguém viu o Pan? 

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Much more

Ontem sai pela manhã para reconhecer o local. Não fui muito longe, coisa de 30 min andando. Poderia tomar um ônibus, mas acredito que vc só conhece um local se sair andando. Tentando buscar informações com as pessoas, enfim. Coloquei minhas botas, camadas de roupas e fui andar. Nem precisava de tantas camadas assim, o sol aqui é tímido, mas dá pra aquecer. A temperatura fica sempre nos 15-16°C, agradável, nada que um casaco não resolva. Com o tempo irá esfriar mais, mas isso é lá pra frente. Depois que cheguei aqui, comecei a perceber que vale muito mais a pena viver a vida um dia de cada vez. Logo, por hj faz frio, amanhã é amanhã e isso se resolverá amanhã. Só qndo vc sai de sua zona de conforto é que começa a dá mais valor a certos detalhes. A ver que esses detalhes não existem na sua vida por obrigação. Não sei se me faço entender, mas por hora digo apenas que não nos damos conta de que tudo é oportunidade. Meu desespero maior no momento é entender melhor as pessoas e me fazer compreensível. As vezes a comunicação se faz muito mais intuitiva do que por formações de sentenças e frases. De algo que me falam tento captar a ideia, verbo principal, situação do momento, pronto. Nem sempre essa formula dá muito certo, mas adaptação é isso. Nada contra e muito menos estou aqui pra levar a falência os cursos de inglês. Contudo, cursinho de inglês é bom pra te encher de vocabulário, mas não te ensina a falar inglês. Falar inglês é muito mais do que simplesmente articular e lembrar das regrinhas gramaticais do cursinho. Isso é só o começo do começo da base. Por enquanto estou rindo da situação, acho engraçado qndo tento dizer algo totalmente desconexo ou qndo as pessoas tentam falar algo e vão mudando a entonação da voz ao perceber que não estou conseguindo acompanhar o raciocínio delas. Espero q qndo chegar a hora que não veja mais graça na situação, já esteja no estagio de comunicação fluente. Americano é uma graça, compra milk fat free e se empanturra de sugar, comida congelada e o suco de laranja. PQP...vai tomar suco de laranja assim lá em Sairé. Devo com certeza conseguir ou alguns quilinhos ou um triglicerídeo acima dos limites normais. Se eu não voltar mais gordinho, desisto de mim. Pra terminar esse diário de Lucas Silva e Silva falando diretamento do mundo da lua, não posso deixar de colocar a questão saudade. Saudade tem pra mim, aqui, outra conotação. Não sinto saudade só da família, e lógico do Ragazzo, mas é de tudo. Sinto saudade da minha vida. But, all is opportunity and this moment is a important opportunity, much more personal than profissional.    

domingo, 23 de outubro de 2011

First impression of earth

Agora não tem mais chororo, nem chorumelas, já estou em terra do Tio Sam. A viagem foi passable. Isso porque foram nada mais que três conexões. Meus ouvidos já estavam quase esbugalhando-se devido a pressão atmosférica em cada vez que o avião iria pousar, tanto que ainda estou um pouco surdo. No entanto foi tudo mais tranquilo que eu poderia supor. Confesso que fiquei espantado com minha serenidade e parcimônia diante do fato. Parecia que já tinha viajado inúmeras vezes para fora, que meu passaporte estava recheado de carimbos de entradas e saídas. Embora, sereno, era visível que estava nervoso. A parte ruim é saber que deixei a bad taste in mouth daqueles que amo e que foram se despedir de mim no aeroporto. Soube ontem que o Ragazzo não aguentou ver o avião pegar voo, foi embora pra casa de coração apertadinho, se acabando de chorar dentro da condução sob olhares curiosos. Pior, foi que tbm chorei muito antes de embarcar.
São Paulo tava frio, tomando por referencial o local de onde partir. Miami, estava bom o clima, agradável, já meu destino final, Pittsburgh, que frio da gota serena... eita frio da molesta dos cachorro doido. Menino, é um frio que entra nariz a dentro e resseca tudo e sai descendo garganta afora. Engraçado foi escutar que estava quente para muitos. No vôo Miami-Pitt qndo o piloto disse a temperatura media de 53°F (13°C) notei um efusivamento em todos. Compreensivel, aqui já soube que a temperatura está baixando dia a dia e que breve fará 25°F (-3°C). Não posso deixar de dizer qnto tudo aqui é bonito. Devo ir hj conhecer melhor a cidade onde foi gravado o seriado Queer as folk. Comunicação é algo complicado ainda, mas é possível chegar a algum entendimento. Por exemplo, ontem foi uma graça, a recepcionista da pousada ao fazer meu check in ficou tão desesperada pra poder se comunicar comigo que ela virou a tela do computador pra mim, acessou o Google tradutor e começou a escrever. Não me aguentei e me estorei numa gargalhada... Great!  Contudo, aqui é uma cidade tipicamente universitária e tem gente de todo canto, logo meu inglês pode ser não tão bom, mas tem gente com inglês muito pior. Essas são minhas primeiras impressões da Terra, breve trarei novidades... 

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Intuição as avessas

Eu tenho um tipo de intuição as avessas pela qual não me deixo levar. Ela funciona mais ou menos assim: Existe uma festa para eu ir. No dia da festa, me bate um desanimo, uma morgação e fico achando que a festa vai ser um pé no saco, o pior investimento de tempo que poderia fazer. Mesmo assim, vou a festa. Para minha surpresa a festa é o que pode se chamar de "Que festa do caralho!". Divirto-me muito e não difícil, a festa entra para uma das melhores que eu já fui. O inverso também pode acontecer. Eu ficar muito instigado para ir a uma festa, achando que ela será bombante e pra minha frustração a festa é terrivelmente chata, no mínimo brochante (coloque-se esse brochante, no superlativo absoluto). Logo, toda vez que fico muito morgado ou sem vontade de ir ao uma festa ou viagem, já fico imaginando que ela poderá ser inesquecível.
Então, isso foi só pra explicar que desde julho que soube que faria uma viagem para os USA (até comentei aqui no blog). Falta só uns dez dias para que isso ocorra e acredite desde agosto que um desanimo, uma morgação abate-se sobre mim. Talvez muitos diriam: 
Vc é louco? Com uma viagem para os USA e tá achando ruim?
Se ainda fosse para Londres, Espanha, Portugal, Suiça, Australia...(rsrsrsrsrs).
É logico que não vou a passeio, vou a trabalho. Pior, com tudo pago e nestas circunstâncias, cavalo dado não se olha os dentes. Espero que minha intuição esteja querendo me dizer que essa viagem poderá se chamar de "Que viagem do caralho!". Uma coisa devo concordar com minha intuição, deixar as pessoas que amo aqui será bem mais do que brochante. Mas nesse caso não se trata de intuição, é uma questão de lógica.  

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Funk do "estudar pra que"

Não posso falar muito a respeito, mesmo porque não assisto novela. Sou a pessoa menos abalizada para falar sobre. Entretanto, a cena que assisti ontem na novela Fina Estampa do Aguinaldo Silva levou-me a inúmeras dúvidas e considerações. A cena era a de uma mãe em casa preocupada com a filha. A dita estava num baile funk preparando-se para se apresentar. A mãe chega no tal baile para procurar a filha, justamente na hora em que a mesma sobe ao palco e canta:
Eu odeio redação, mas rebolo até o chão. 
Não sou boa no estudo, tiro zero em quase tudo.
Reprovada no provão, tirei dez no popozão.
O Aguinaldo Silva está se utilizando do personagem para fazer uma critica ou trata-se de uma campanha da novela ao "estudar pra quê" ?
Confesso que eu mal acreditei qndo vi a cena. Pior foi ver a mãe toda orgulhosa de ver a filha no palco, dizendo ainda que ela tem talento. Ai vem a Secretaria de Politicas para Mulheres com estória de que a campanha da Hope feita pela Gisele Bundchen é uma afronta ao feminismo e estimula pensamentos sexistas. O dizer então de uma cena de novela, onde uma menina no alto dos seus 16-18 anos canta o funk do "estudar pra que"? 
Durma com um barulho desse!

domingo, 2 de outubro de 2011

Mais um corpo que cai

O que leva alguém a cometer suicídio?
Não me cabe aqui julgar, desde que tantos são os bichos de nos roem a alma e cada um sabe seu limiar de dor, seja ela física ou espiritual. O suicídio é um mal crescente e fez a Organização Mundial de Saúde colocá-lo como problema de saúde publica desde da década de 90. Visto que 20 a 60% de estudantes universitário têm tendência ao suicídio, cabe a admistração das universidades envolver-se mais em tais problemas.
Na semana passada uma jovem jogou-se do prédio de Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) da Universidade Federal de Pernambuco, já conhecido como "trampolim de filósofo". Essa fama não foi a toa, o CFCH já é bem conhecido por vez ou outra alguém jogar-se. Valse ressaltar que a quase um mês atras um rapaz também já havia se jogado. Em quatro meses já foram 3 suicídios. A universidade diante da fama do CFCH já havia providenciado a colocação de grades, mas nem isso impede que lamentáveis episódios como esse ocorram. Semana passada alguns estudantes foram cobrar providencias na reitoria. E cabe a reitoria se pronunciar diante dos ocorridos e não fazer silêncio diante dos fatos. Segundo relatos, a menina que se jogou caiu em uma via de grande fluxo de estudantes e na saída do Centro de Educação (CE). Não acho que faça parte do processo cognitivo, sair de uma sala de aula e se deparar com um corpo que acabara de se jogar do 14º andar, muito menos ter que andar nas proximidades do CFCH preocupado em se deparar com alguém se arrebentando no chão. Acredito que é preciso mais envolvimento de professores e estudantes no assunto. Tratar o problema com mais encorajamento por parte de toda a comunidade universitária na tentativa de minimizar fatos como esse. Fazer silêncio é uma posição preconceituosa e não resolverá o problema.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Meu filho é gay?

Esse post é indicado para os pais e mães preocupados com a orientação sexual de seus filhos. Um aplicativo da Android Market promete dissolver essa dúvida em poucos minutos. A Android Market é uma loja de software online desenvolvido pela Google para dispositivos Android OS. Entre um destes aplicativos está o "Is My Son Gay?" (Meu filho é gay?) que promete responder através de um questionário com 20 perguntas. O questionário foi elaborado pela empresa francesa Emmene Moi e o aplicativo está disponível nas versões em inglês e francês por 1.99 euros. As perguntas se baseiam em aspectos do estilo de vida da pessoa. O Uomo andou pesquisando e coloca a seguir o questionário, onde vc poderá descobrir se seu filho é gay. 
01. Seu filho gosta de vestir-se bem e presta atenção em marcas de roupa?
02. Seu filho gosta de futebol?
03. Antes de seu filho nascer, você gostaria que ele fosse uma garota?
04. Seu filho já entrou ou participou de alguma briga?
05. Seu filho lê revista de esporte?
06. Ele tem um melhor amigo?
07. Ele gosta de esportes de equipe?
08. Ele é púdico?
09. Ele gosta de cantoras divas?
10. Ele passa muito tempo no banheiro?
11. Ele usa piercing no nariz, língua ou orelha?
12. Ele leva muito tempo arrumando para sair em público?
13. Você já se perguntou sobre a orientação sexual do seu filho?
14. Você está divorciado?
15. Ele gosta de comédias musicais?
16. Ele apresentou a você uma namorada?
17. O pai dele é muito autoritário e severo?
18. Em sua família o pai é ausente?
19. Ele era tímido quando criança?
20. Ele é ligado ao pai?
Pronto, se vc responder "sim" a mais de 15 perguntas a probabilidade dele ser gay é altíssima.
Ai, ai, como se tudo se resolvesse num questionário...

domingo, 25 de setembro de 2011

Sinal vermelho

No Diario de Pernambuco de domingo vem encartado a revista Aurora. E nesse domingo ela vem com uma reportagem onde conta o que o Recifense faz enquanto está preso no trânsito. Clica aqui e dá uma sacada em três estórias bem interessantes publicadas na revista.

Mestiço

A Caixa Econômica Federal teve que retirar do ar um comercial onde Machado de Assis aparece com uma pessoa branca, depois que a Secretaria de Politicas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da Republica (Seppir) fez duras críticas. A Caixa declarou nota pedindo desculpas e retirou o comercial do ar. Na verdade a culpa foi da agência que pisou feio na bola. Faltou um pouquinho só de pesquisa pra saber que Machado de Assis era mestiço, filho de um mulato com uma portuguesa. A Caixa anulou o pagamento a agência.

Faz 6°C em Recife

A sexta edição Grande Prêmio Canal Brasil de Curtas-Metragens teve um Pernambucano como vencedor. O curta Recife Frio do cineasta Kleber Mendonça Filho segue sua caminhada de prêmios e arrebata mais um. O filme tem a estrutura de documentário, mas mostra uma onda de frio que se abala sobre Recife, mudando completamente os costumes dos que lá (aqui) moram. Eu assisti o curta e digo, sem e com bairrismo, que vale todos os prêmios que já levou até agora. Eu havia feito um post onde coloquei o curta inteiro, mas como o vídeo da internet continha Malware (vírus) tive que retirar do blog. Contudo não podia deixar de refazer o post com vídeo do Youtube, sem vírus. Essa parte do papai noel é hilária.

Desculpas

Gente, estou aqui hoje para pedir desculpas. Hoje pela manhã quando fui entrar no blog para atualizações, deparei-me com uma terrível tarja vermelha avisando que o blog continha Malware que poderiam corromper arquivo do computador. Todos que tentaram abrir o blog devem ter se deparado com essa tarja. O problema já foi resolvido, tratava-se de um vídeo referente a postagem Recife Frio. Ratifico meu pedido de desculpas e terei mais cuidado na veiculação de outros vídeos para que isso não mais ocorra.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Father, I'm gay!


Não é uma situação fácil para ninguém. Enquanto para alguns, contar para o pai ou mãe que é gay, não faz muito sentido, para outros ela torna-se um divisor de águas. O soldado americano Randy Philips de 21 anos fez desse momento complicado um vídeo e postou no YouTube, poucas horas antes do fim da proibição de soldados americanos revelarem-se gay, a politica do don't ask, don't tell. O vídeo tem mais de 2 milhões de visualizações e conta com apoio e outras tantas declarações de "I'm gay!". 

domingo, 18 de setembro de 2011

I need you

Superação

Quando eu era criança, lembro de um pesadelo. Alguns macacos reunidos ao redor da mesa da cozinha, da minha casa, confabulavam uma forma de ir até meu quarto buscar-me. Tive esse sonho várias vezes e sempre era pavoroso. Por esse motivo, nunca assistir um filme se quer de Planeta dos Macacos. Ontem resolvi superar meus traumas infantis e fui ver "Planeta dos Macacos - A Origem". E nunca foi tão legal superar um trauma. Trata-se de quase um tratado Darwiniano mesclado com um thriller psicológico. O filme se foca na saga do macaco Cesar e sua fantástica capacidade cognitiva. A partir de um vírus recombinante, em teste para servir como cura do mal de Alzheimer, observa-se que ele pode levar a uma neurogênese em primatas que desenvolve sua capacidade cognitiva, ao contrário do que em humanos que desenvolve anticorpos contra o vírus, potencializando os efeitos degenerativos da doença. Curiosamente, o filme nos leva a torcer pelos macacos. As cenas na ponte Golden Gate são fantásticas. É excitante ver Nova Iorque sendo invadida por macacos e todo um duelo entre um bando de macacos muito mais inteligentes que um bando de policiais. Tive certeza que havia superado meu trauma de infância qndo fiquei extasiado ao ver Cesar falar "Cesar is home". Outra parte muito bacana é quando o vírus, oriundo de um experimento onde a biosegurança passou longe, começa a se espalhar demonstrando que em breve só macacos sobreviverão. Fica a dica!

sábado, 17 de setembro de 2011

Diga sim a igualdade!

Foi deixado escrito em uma das cabines de um dos banheiros de um Shopping no centro da cidade do Recife um texto com conteúdo homofóbico. Os autores se colocam como Skinhead e em tom ameaçador dizem ser mais de 5.000 integrantes só aqui em Pernambuco e que em outubro eles iniciarão uma purificação da raça humana com a morte de vários homossexuais em Recife. O recado ainda fala sobre uma onda de horror espalhada sobre a cidade com a morte de muitos "viados" e termina com um maiúsculo "sim a homofobia". O fato coincide com os preparativos da Parada da Diversidade de ocorre domingo (18/09), na Av. Boa Viagem. Uma lástima que coisas assim ocorram, mas não surpreende em nada. Aqui como em muitas parte do país homossexuais ainda são agredidos e vivem sob o fantasma de atentados homofóbicos. A Parada da Diversidade amanhã deve contar com um efetivo de dois mil policiais. Torço para que esse recado não passe de um fato isolado, sem maiores precedentes. De todo modo, vamos ficar de olho!

domingo, 11 de setembro de 2011

Unbelievable

Então, há dez anos atrás acreditava que guerra era só no Oriente médio. Que lá sim, bombas explodiam e pessoas morriam e que aquela era a parte do planeta feito para as guerras acontecerem. Embora em alguns outros países da Europa atacados terroristas também ocorressem. 
Os E.U.A? 
Ah, o pais dos sonhos. A potência econômica mundial. Sempre prontos pra proteger a todos e sempre intocavelmente seguro. 
Acabava de chegar em casa, era perto de 11hs da manhã. Já havia dado um abraço no meu irmão que faz aniversário no dia 11 e alguém diz: Já visse o que está acontecendo em nova iorque? Liguei a TV e me deparei com uma das cenas mais incríveis já vistas. Sentado em frente a TV lembro que chorei e indignado lembro não crer no que via.
Senti um silêncio no mundo.   
Dez anos depois, os E.U.A já não é tão dos sonhos assim, já não é tão potencia econômica qnto antes e seguro nenhuma parte do mundo é mais. Aquele dia mudou muitos conceitos sobre o mundo.

Philip Glass e Tim Fain


Fui com o Ragazzo ontem ver uma das grandes estrelas da 8ª edição da MIMO deste ano, Philip Glass. Já havia postado aqui antes, dando a dica. Não foi muita surpresa ver tanta gente lutando por um ingresso. Chegamos cedo e passamos duas horas numa fila pra pegar ingresso e depois mais duas pra pode pegar um bom lugar dentro da Igreja da Sé. Depois desse domingo na fila, fui realmente recompensado por um fabuloso show do Philip Glass. Além de cumprir o programa do concerto, ainda presentou o publico com alguns brindes surpresas (nem tão surpresa assim). Como convidado o Philip trouxe o violinista Tim Fain. E esta com certeza foi a grata surpresa da noite para mim. O violinista californiano deixou a noite de sábado ainda mais fabulosa. Além de gatíssimo, ele toca muito bem. Achei esse vídeo do Tim. Olha só o que cara aprontou ontem a noite.

sábado, 10 de setembro de 2011

...alguma fenix corajosa

Medo.
Eu descobri.
É medo... ou melhor, é "o medo".
O medo de ver que tudo está sofrendo grandes transformações. Que nada está mais como antes e que o processo de transformação já começou faz um tempo e que eu sou a próxima vitima a entrar no olho do furacão. Que de onde estou, tento me protejer para que nada seja tão duro. Tão duro qnto já está sendo.
É o medo, de ver que pessoas vão embora de sua vida, sem que realmente saiam ou digam adeus. Que outras pessoas tbm por medo, preferem partir por não saber lidar com o medo, do meu medo do furacão. É ver que o tempo passou e que não é mais possível viver na mesma rotina de ontem. Que esse furacão está engolindo todos hábitos, todas as rotinas, todos os conceitos e como um liquidificador, tornando tudo pastoso demais pra ser vivido concretamente. Logo só restarão as lembraças de um hábito, de uma rotina e de alguns poucos conceitos.
É o medo de notar-se sendo encasulado, que fugir é bobagem, que a natureza é implacável e o tempo é desumanamente imperdoável. Que toda essa asfixia, de ser encasulado, embora, saiba que dará espaço a litros de oxigênio que entraram pulmão a dentro, permitindo-me um vôo alto e eterno, causa-me profundo pesar por deixar de ser largata, por me ver sozinho e ter que contar comigo.
Eu sei. A natureza é implacável e não fujo a regra dos que dela são originados. Tbm eu, deverei passar pelo processo doloroso e angustiante das transformações.
Eu sei. O tempo é desumanamente imperdoável. Q bobagem, o tempo nem é alguma coisa humana. O tempo é só o senhor das horas e amigo dileto da natureza. E que eu, não estou fora dos paralelos do tempo, mas inserido até a última célula e está até o último telômero empregnado de tempo.
Embora o medo seja parte ontogênica de mim, abro o peito ao furacão e numa coragem tímida e cheia de medo, vendo-me joguete de conflitos humanos, jogo-me num salto. Que tudo se transforme em pó, em cinzas, em alguma fenix corajosa e saudades...
Eu descobri.
Vida.
É vida... ou melhor, é "a vida".

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Que MIMO!

Há um bom tempo não faço post de propagandas de eventos ou festas que irão rolar na cidade. Entretanto, vou abrir uma exceção e avisar que desde ontem tá acontecendo em Recife, Olinda e João Pessoa a 8ª edição do MIMO. Lembro tbm que essa edição vai só até domingo (11) e que tá rolando muita coisa boa. Uma delas tocará proximo dia 10, o Philip Glass. Embora já tivesse escutado sua obra em alguns filmes como As Horas, O Show de Truman e mais recentemente, Nosso Lar, só vim dar-me conta do artista atrás da música, através do Ragazzo. Philip Glass é um compositor americano considerado um dos mais influentes do século XX. Lógico que irei dá uma conferida e deixo o recado...agente se esbarra.

domingo, 4 de setembro de 2011

De volta ao antigo Recife Antigo

Tempo bom era no meu tempo, qndo ir para o Recife Antigo era fazer parte de um movimento que redescobriu Recife para o mundo. Tempo bom, era ir ao Recife Antigo pra ver Chico Science tocar com a Nação Zumbi. Ver Cordel do Fogo Encantado, fazer chover no Marco Zero. E Devotos do Ódio botar pra quebrar. Era poder ver um bairro que respirava cultura e encantamento. Que denunciava o que era ser Recifense. Era curtir um samba invocado e beber até de manhã sem ter que se preocupar com nada. De ver o sol dá "bom dia" no horizonte e só então poder ir pra casa; já não mais podia-se pegar o bacurau (ônibus), mas a primeira viagem do dia. Tempo bom era qndo o Recife Antigo não era só carnaval. 
Hj o Recife Antigo é isso mostrado no Jornal Nacional (vídeo), e digo mais, é isso e muito pior. Obrigado a incompetência do atual prefeito e do descaso do atual governador. O Recife Antigo, voltou a ser o que era no passado. Um local de marginais, drogas e prostituição.

sábado, 3 de setembro de 2011

Peito vazio

Hoje eu acordei saudoso. Saudade de tudo que me cerca e do qual ainda não me desliguei. Saudade do meu trabalho, que ainda hj pela manhã estive rapidamente. Saudade da forma como o sol bate no meu quarto e da luz bonita que fica. Do vento que sopra na janela mansinho e fresco. Saudade da rotina, do ritual de todo dia. Saudade dos amigos, do que já vivemos e até do que pretendo viver com eles ainda. Saudade da minha família. Dos que já passaram para o outro lado, ou mesmo daqueles que ainda estão tão próximos. Hj acordei como a música de Cartola, "Nada consigo fazer qndo a saudade aperta, falta-me a inspiração, sinto a alma deserta. Um vazio se faz em meu peito e de fato eu sinto no peito, um vazio...". Talvez seja por que esteja tão próximo de viajar (assunto para outro post) ou talvez seja só meus periódicos momentos de ostracismo. Só sei que hj eu tô com saudade. Saudade até de mim... não sei... só sei que é assim.

 

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Explosão brega

Alguns dizem não suportar ouvir, outros adoram ouvir e aproveitam para fazer God e todo o resto do mundo escutar junto. O brega sempre foi um ritmo considerado do povão. Embora, não tenha raízes em Pernambuco, desde que é um ritmo que veio da região norte do país, o novo brega, tbm chamado de calypso, parece ter nascido em Recife. Melhor, o brega em Recife parece ter uma força inexplicável e como tudo que chega aqui leva logo estilo proprio, o brega em Recife é algo quase inato. A alguns anos imaginei que seria apenas mais um ritmo de verão que logo seria levado com as primeiras chuvas. Estava enganado. Cada dia uma nova banda surge e mais um hit entra sorrateiramente nas mentes mais vigilantes para ficar martelando durante todo o dia, parecendo mais uma possessão demoníaca. Comparo com o duelo das divas pop's, como Beyonce, Rihanna e todo o resto, que a cada dia lança mais um hit para continuar nas paradas de sucesso. As bandas de brega parecem competir para não serem esquecidas. O mais novo sucesso é "A mulher do patrão" de Mc Vertinho e Mc Dinho. Contudo, não se engane, daqui a cinco minutos essa já será tão old quanto Hello de Beyonce. A cineastra Hanna Godoy tentou mostrar o universo das bandas no documentário Explosão Brega. Uma materia sobre o documentário no Pernambuco.com, coloca que o documentário não tem a menor pretensão de parecer cult ou feito para um festival. Trata-se de um documentario pra galera ver seus artistas favoritos e curtir o som, embora o filme tenha qualidades culturais e esteticas para agradar tanto os amantes do brega quanto do cinema. 

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

A internet não perdoa

Pois então, em alguns post abaixo falei sobre a exposição de prefeita de uma cidade belga que mandou ver com seu namorado. Por sorte a prefeita tem recebido apoio dos politicos da cidade. Não teve a mesma sorte o senador de Puerto Rico, Roberto Arango. O senador republicano teve fotos publicadas no site de relacionamento Grindr. Embora em algumas fotos, o senador apareça de quatro a explicação do senador foi, "Você sabe, eu estava perdendo peso. conforme perdia peso, eu tirava fotos. Mas não me lembro de ter tirado essa foto". Sem muita complacencia com as fotos picantes o senador foi pressionado e renunciou ao cargo.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Pra que isso?!


Eu me pergunto pra que isso? Para que incitar uma guerra sem o menor propósito? Porque uma religião que deveria incitar ao amor, união e fraternidade, prefere por pura ideologia, estimular o ódio, a segregação e a fratricidade? Esse outdoor foi de autoria da Igreja Evangélica Casa de Oração de Ribeirão Preto. Graças a justiça ele foi apagado. Será que os autores da ideia não pensam que um ato desse porte enfluencia não só aqueles que bebem da mesma fonte, como outros que embora não sejam evangelicos, não tem uma opinião formada sobre o assunto ou mesmo tem uma ideia deturpada sobre a questão. Que tal ato gera atos violentos onde vidas e familias são destruidas. Vai ser leviando assim no inferno!

Focinho do cão é a cara do dono

Tava vendo o blog da Marta Matui e encontrei uma dica super legal. Trata-se de um programa da Pedigree para vc adotar cachorros. Vc entra no site e inicia o software. Ele irá escanear seu rostinho e irá procurar um cachorrinho que mais se assemelhe a vc. Daí caso vc goste de seu avatar-dog, vc adota ele. Legal néh?! Só tem uma questão, os cachorrinhos são todos da Nova Zelandia, não tem aqui no Brasil. Então dá só pra saber qual o cachorro tem sua cara. Olha só o meu avatar-dog... carinha de vira-lata neh... adoro!

Mandando ver


Algumas pessoas preferem quatro paredes. Já outros acreditam que quatro paredes não são suficientes e preferem algo ao ar livre. E acredite não são poucos os que se arriscam a ter alguns poucos momentos de prazer, mesmo correndo o risco de ser flagrado por alguém ou mesmo ser filmado e ver seu coloquio amoroso sendo visto por meio mundo. Um cantinho, um local escuro ou discreto sem muita movimentação e o tesão já em alta, vai aos picos das alturas. Assim pensou a prefeita de uma cidade de Aalst, na Bélgica. Ilse Uyttersprot e o namorado aparecem no video, mandando ver.

sábado, 20 de agosto de 2011

E todos foram felizes para sempre

Terminou ontem "Insensato Coração". Não acompanhei quase nada sobre a novela, durante todo o tempo que ficou em exibição, apenas a trama de um personagem ou outro, mas sem muita empolgação. Ontem já prevendo o óbvio, não assisti o final da novela. Soube como foi a pouco, lendo em alguns sites. Aqui pra nos, não dava muito pra fugir do que foi. Quem mais poderia ter assassinado Norma que não Wanda? 
Gilberto Braga e Ricardo Linhares acertaram novamente. Não posso deixar de registrar a boa trama escrita para Glória Pires e do bom vilão feito pelo Gabriel Braga Nunes. Embora tenham errado a mão no casal mais insosso da novela, Paola Oliveira e Eriberto Leão - fala sério, que tedio! Entretanto, pra mim o ponto alto da novela foi a união civil entre Hugo (Marco Damigo) e Eduardo (Rodrigo Andrade) - essa parte eu vi! Não, não teve beijo gay e pra mim, ver numa trama novelistica, um casal homoafetivo ter um final feliz casando, foi melhor que beijo gay. Quando vi as notícias de que a Globo "sugeriu" aos autores diminuir as cenas com o casal, pensei logo "vão matar o casal de alguma forma". Por sorte, o casal não morreu. Os autores colocaram os pombinhos em banho-maria como havia sido recomendado, mas deram o final que mereciam. Levando em consideração que a trama das novelas nos úlltimos tempos vem ditando moda, discutindo polêmicas e apresentando questões de responsabilidade social. No meu entender, a cena foi um avanço em termos de costumes. Sem contar que os autores utilizaram de um ganho ocorrido durante a exibição da novela que foi a aprovação pelo STF da união estável entre homossexuais.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Classificação 18 anos



Não bastasse a Globo e outras emissoras, agora é a Google que entra no boicote ao beijo gay. A mesma classificou como impróprio um vídeo (acima) que mostrava um beijo entre dois homensO vídeo era um protesto contra a censura do beijo gay na Rede Globo. É mais ou menos uma censura ao protesto contra a censura. Indignado com a decisão, o roteirista e diretor Rafael Puetter (vídeo abaixo) disse que pretende processar o Google pelo incidente, caso a empresa não revise a classificação.


Quando o amor faz mal

Amor faz mal quando deixa de ser amor, óbvio.
Não, não é tão óbvio assim. Não incomum, o amor deixa de ser amor e passa a ser um monte de outras coisas e mal nos damos conta disso.
O amor nos faz mal quando deixamos de acreditar em nós mesmos. Quando passamos a crer apenas no outro. Que esse outro por nos amar tanto fará o impossível para nos fazer feliz. Como se "nos fazer feliz" fosse responsabilidade desse outro. O amor nos faz mal quando passa a ser uma espécie de parasitimo cômodo e egoísta. Muitas vezes por puro comodismo e entendemos o outro como uma fatídica condição, um carma, um peso que se esta fadado a ser carregado. Quando amar e sofrer são verbos sinônimos e completamente indissociáveis O amor nos faz mal quando temos medo de ser feliz longe do feudo, das cercas e muros criados naquela doente relação. Quando o outro se torna de tal maneira maior e mais importante, que torna-se inacessível e não mais podemos lhe olhar nos olhos. O amor nos faz mal quando perdemos nossa identidade. Quando priva-nos da capacidade de ser livre e coloca a ideia de um cárcere apertado e sufocante. Quando não mais se propõem uma relação, se impõem. Na maioria das vezes mal nos damos conta de que a relação deixou de ser uma proposta de caminhar juntos, perdeu a identidade e o encanto. A partir deste ponto o amor faz mal e então surge vem a pergunta: Em que ponto o amor se perdeu? 

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

A moda pegou!


E num foi que ele vetou!
Pois é, o prefeito de São Paulo Gilberto Kassab, vetou o projeto do deputado Carlos Apolinário (DEM-SP) autor da lei que cria o Dia do Orgulho Heterossexual em São Paulo.
Pra mim, Kassab não quis foi se complicar. O projeto causou uma tremenda má repercussão e Kassab tem aspirações maiores no seu PSD (afinal, saiu do papel esse partido?!). Contudo, parece que a moda realmente pegou. O vereador de Fortaleza Ciro Albuquerque (PTC) apresentou um projeto de lei para a instituição do Dia do Orgulho Heterossexual na capital cearense. Segundo o autor do projeto, a data seria comemorada no dia 8 de dezembro.

Sou diferente, sou canhoto!


Caraca, nem sabia que tinha uma dia pra eu me "orgulhar" por ser diferente. Tava vendo o blog da Marta Matui e vi que dia 13 último foi o dia do canhoto. It's fabulous!
Uma explicação científica encontrada é que os canhotos possuem um predomínio do hemisfério direito do cérebro sobre o esquerdo e que essa característica é determinada geneticamente. Um outro fato é que o gene responsável pela alta atividade do hemisfério direito em detrimento do direito também está relacionado com uma prevalência de doenças como esquizofrenia e epilepsia. 
A história está recheada de perseguições aos canhotos. Os antigos gregos e romanos consideravam o lado esquerdo inferior e profano, e nos tempos medievais, o uso da mão esquerda era associado com feitiçaria (pessoas morreram nas fogueiras da Inquisição por serem canhotas). A Igreja Católica sustentou por mais de mil anos que todo canhoto havia sido criado pelo diabo, era obra do diabo, e que todo e qualquer canhoto era mau e diabólico. A palavra “esquerdo”, em muitos idiomas é associada com o mal, dificuldades ou com o diabo. Em latim, vem de “sinister”. Eu mesmo, ainda no pré-escolar levei algumas palmadas na mão por parte de minha professora que forçava-me a escrever apenas com a mão direita. Até minha mãe saber e proibir as palmadas e exigir que fosse incentivado para que eu escrevesse com a mão esquerda. Lembro que sempre fui motivo de espanto e comentário: 
- Olhá lá ele é canhoto... que interessante. Como é que vc consegue escrever?
Certa feita me deram numa prova pra concurso me deram uma poltrona para canhoto. Recusei na hora, senti-me como se tivesse algum tipo de anormalidade. Pessoas canhotas são talentosas de forma desproporcional: Beethoven, Michelângelo, Rafael, Leonardo da Vinci, Goethe, Nietzsche, Picasso, são só alguns dos grandes canhotosAcho até que deveria ter passeata do orgulho de ser canhoto.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

E daí?!

Eu juro que não queria comentar sobre isso. Contudo, para todo canto que olho não se fala em outra coisa. Alguém pode me explicar o motivo do rebuliço pelas declarações de Sandy na Playboy. Não consigo entender o que tem demais alguém dizer que sente prazer anal. Muito menos, que vai a sex shop, que tem vontade de fazer swing e que em quatro paredes vale tudo. Quem nunca foi a um sex shop ou não se morde de vontade de ir, mesmo que seja só por curiosidade? Quem não tem curiosidade de ir ao uma casa de swing? (eu mesmo adoraria) Incrivel como parece que vivemos no seculo XVI ou XVII onde tais declarações causam tamanho estandalharço (talvez tais declarações seja o motivo da queda das bolsa de valores no mundo e do rebaixamento na nota de crédito do Estados Unidos, nos últimos dias). Faça-me o favor, vamos ser menos hipócritas. Infelizmente o brasileiro tem a vocação de criar, sabe-se lá o motivo, seres puros e imaculados como redentores da moral e dos bons costumes e a Sandy parece ter sido a escolhida. As declarações dela não me assustam em nada. Não creio em santos muito menos em bondade absoluta (excerto a de Jesus Cristo). Todo mundo tem o lado obscuro da força e bom que assim seja. Bem faz ela de se colocar dessa forma. Acho que ela não deveria voltar atrás em uma vírgula, pelo contrário, deveria ratificar em um sonoro: E daí?!

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Female to Male

Uma coisa é vc perceber que não gosta de meninos, mas sim de meninas e sua relação com seu corpo ser tranquila. Outra coisa é vc observar que vc é um menino num corpo de menina e que essa relação é totalmente incongruente. Essa é a questão do Leonardo, na foto ao lado. O Leo tem 21 anos e mora em Recife e é um transhomem. Ele, aos 18 anos percebeu que o seu tipo físico não dialogava com o seu psicológico. Em uma explicação estereotipada, a situação dele é a de um homem preso em um corpo de mulher. Assim, Leo, que se encaixa na condição de um transexual FTM ("Female to Male": espécie de apelido usado em todo o mundo), é considerado como tal mesmo sem ainda ter realizado a cirurgia de reatribuição sexual, termo correto para a popular: “cirurgia de mudança de sexo”. Essa transição anatômica de mulher-para-homem é o que o jovem mais quer na vida. É tão mais comum vc ver o contrário que ao ler a materia achei super interessante e quis logo postar aqui. Você pode ler a materia completa aqui

It's the Superman!

Esse aí da foto não é o Fiuk versão power. Trata-se de Henry Cavill o mais novo super homem. O cara tá ralando pra poder ficar apresentável na telona. Ele vem fazendo dieta pra ganhar massa muscular. A dieta é composta de 5 mil calorias por dia e muita malhação,"Faço treinos de duas horas e meia por dia, fazendo o meu corpo superar seus limites normais, para ganhar massa muscular e ficar parecido com o Super-Homem", afirmou o ator. O novo filme do Super-Homem, "Man of Steel" estréia em junho de 2013 nos Estados Unidos.

sábado, 6 de agosto de 2011

Tu gosta? Mas, tu gosta mesmo? Mas, tu gosta como?


Não tem nada mais brochante do que ficar sábado a noite assistindo Zorra Total. Tem quem goste, não eu. Contudo, nos últimos meses, tenho me rendido ao quadro interpretado pelos atores Rodrigo Sant’anna e Thalita Carauta, Valéria e Janete. Muito bom... 

Leve


Quem me mandou esse vídeo foi o Ragazzo. Na verdade, intimei ele a me enviar para que pudesse publicar aqui no blog. O trabalho de Daniel Wurtzel em seu site é definido como ‘Air Sculpture’, algo como Escultura de Ar, o artista se utiliza de materiais como ventiladores, luzes, e tecido para criar esculturas em movimento, que quando juntadas com música se torna um verdadeiro espetáculo a cada minuto, cheio de movimentos e contrastes de luz. Simplesmente lindo!