sábado, 29 de dezembro de 2012

Que venha 2013!

O ano de 2012 dá seus últimos suspiros de vida e venho dizer que o Uomo não morreu.
Outro dia o Ragazzo reclamava que as coisas por aqui andavam meio mortas. Nada de novo, nenhum comentário interessante e concluiu dizendo: "melhor acabar logo com aquilo!".
Esse ano não foi fácil e poucas foram as postagens aqui no blog. Analisando mais profundamente, acredito que estou numa fase normal, comparando-me a outros blogs. Estou naquela fase onde tudo me interessa, mas não tenho saco de estar postando tudo que vejo. Precisa ser algo que mexa muito comigo, para que eu venha a comentar. Aliado a esse sintoma, vem uma fase decisiva na minha vida, com trabalho, trabalho e mais trabalho. 
Nesses últimos momentos de 2012, quero desejar a todos que acompanham o Uomo ou que simplesmente vez ou outra passa por aqui, só para dá uma olhada, um 2013 repleto de muito sucesso. Em 2013 iremos está mais próximo do blog, comentando, quem sabe, de tudo um pouco.
Agente se esbarra!!!
Feliz 2013!!!!

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Argo

Na última Segunda-feira fui ao cinema. As opções de filme pouco me atraia, até identificar na lista, um nome conhecido, o qual já havia lido alguma critica sobre. Terminei por apostar todas as minhas fichas nele. Nem lembrava muito o que a critica dizia, simplesmente arrisquei. Bingo! O filme era fantástico!
Argo é um daqueles filmes que te prende do início ao fim, te faz exercitar a não respiração em alguns minutos e se você conseguir se deixar levar, ainda vai chorar no final. Além disso tudo, é bem acabado; tem uma direção de arte que deve ter trabalhado muito e fez muito bem o dever de casa e tem um roteiro, para mim, bem amarrado. Não é nenhum grande filme, mas um filme com grande pretensões, que envolve comédia, drama, suspense e politica. Não duvido que a Academia de Cinema irá brindá-lo com algumas indicações e quiçá poderá levar algum Oscar para casa. Então nesse feriadão, se não tem opção de filme, a dica é Argo.

domingo, 28 de outubro de 2012

Chegue cá, deixe eu lhe fazer um dengo, vá!

Uma pesquisa feita pelo IBOPE e encomendada pela Johnson & Johnson revela que os pernambucanos  embora não saibam definir o que é carinho, são um dos estados mais carentes e mais carinhosos do Brasil.
O vídeo abaixo revela dados da pesquisa.


Fonte: Diário de Pernambuco

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Tocante



Falar mais sobre Os Intocáveis é ser redundante. São muitas as críticas e opiniões sobre o filme na internet que qualquer coisa que eu diga será mais do mesmo. O filme é irretocável pela trilha sonora, pelas belas imagens, pelo tudo de bom Omar Sy e lógico pela bela estória. Por isso eu recomendo...assista! 

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Seja a favor da liberdade.


Estava eu quietinho no meu canto, quando me deparo com essa imagem. Você consegue crer nisso? Mais uma vez o grupo Pró-vida dá sinais de sua ignorância em uma propaganda extremamente homofóbica. Incrível como fala-se em liberdade de expressão e ao mesmo tempo de censura da forma mais cretina e hipócrita. Como diz o Pierre - autor do blog Acerto de Contas -, estamos em um país democrático e é preciso deixar falar o maior tolo que seja. 
Eles podem até querer calar nossa boca. Eu quero é que eles morram pela língua.    

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Engatinhar

Fazer o blog é algo do qual ainda engatinho. Fazem 2 anos e 5 meses que o UOMO está na rede e ultimamente tenho achado curioso o fato de que postagens antigas tem uma visualização muito maior do que postagens atuais. Algumas nem falam de nada muito interessante, trazem apenas um momento do qual eu estava passando. Na administração do blog, sempre gosto de observar qual post é mais visto e é engraçado que por vezes escrevo algum post jurando que terá grande acesso e ocorre justamente o contrário. Ao mesmo tempo é bom saber que quem acessa UOMO, busca cada vez mais saber o que pensa e como ver o mundo.
  

Pro-vida, Pernambuco é que não te quer.

Hoje pela manhã dei de cara com um anúncio em alguns jornais e também no Facebook o qual não conseguia entender muito bem. O slogan "Pernambuco não te quer" cercado por palavras como pedofilia, homossexualismo, turismo sexual, prostituição e por ai seguia. Não dei muita bola, mas agora pude ver a dimensão da coisa. Todo mundo caindo de pau em um tal de Movimento Pró-vida que nem sabia que existia.  
O coordenador do movimento que também é coordenador de Javé Nossa Justiça declarou que o anúncio não tem caráter discriminatório e que não se arrepende da publicação.
Esses homofóbicos filhos de uma puta pensam que engana quem? Então neguinho chega, diz o que quer e ainda usa o habeas corpus de que não quis discriminar, para dá uma de bom moço. Quis o quê então?
Concordo que todos tem o direito de livre expressão, mas onde fica o direito ao respeito? 
Pior foi alguns jornais de grande circulação aqui de Recife se vender dessa forma. Discriminação e intolerância é crime.
A Secretaria de Turismo de Recife lamentou o ocorrido e tem que lamentar mesmo. Recife só perde para São Paulo e Rio como cidades "Gays Friendly". São turistas que gastam horrores sem nem pestanejar. Ai vem uma cambada dessa e diz "Pernambuco não te quer". É piada neh!!!! 
A campanha surge as véspera da parada da diversidade que ocorrerá em Recife no próximo dia 16 de setembro. 
É realmente uma lástima. 

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

E vc, é bobo ou esperto?

Encontrei um lindo texto de Clarice Lispector. E resolvi postar aqui no blog para que possamos curti-lo, espero que gostem.

AS VANTAGENS DE SER BOBO

O bobo, por não se ocupar com ambições, tem tempo para ver, ouvir e tocar o mundo. 
O bobo é capaz de ficar sentado quase sem se mexer por duas horas. Se perguntado por que não faz alguma coisa, responde: "Estou fazendo. Estou pensando."
Ser bobo às vezes oferece um mundo de saída porque os espertos só se lembram de sair por meio da esperteza, e o bobo tem originalidade, espontaneamente lhe vem a idéia.
O bobo tem oportunidade de ver coisas que os espertos não vêem. Os espertos estão sempre tão atentos às espertezas alheias que se descontraem diante dos bobos, e estes os vêem como simples pessoas humanas.
O bobo ganha utilidade e sabedoria para viver. 
O bobo nunca parece ter tido vez. No entanto, muitas vezes, o bobo é um Dostoievski.
Há desvantagem, obviamente. Uma boba, por exemplo, confiou na palavra de um desconhecido para a compra de um ar refrigerado de segunda mão: ele disse que o aparelho era novo, praticamente sem uso porque se mudara para a Gávea onde é fresco. Vai a boba e compra o aparelho sem vê-lo sequer. Resultado: não funciona. Chamado um técnico, a opinião deste era de que o aparelho estava tão estragado que o conserto seria caríssimo: mais valia comprar outro. Mas, em contrapartida, a vantagem de ser bobo é ter boa-fé, não desconfiar, e portanto estar tranqüilo. Enquanto o esperto não dorme à noite com medo de ser ludibriado. O esperto vence com úlcera no estômago. O bobo não percebe que venceu.
Aviso: não confundir bobos com burros. Desvantagem: pode receber uma punhalada de quem menos espera. É uma das tristezas que o bobo não prevê. César terminou dizendo a célebre frase: "Até tu, Brutus?"
Bobo não reclama. Em compensação, como exclama!  
Os bobos, com todas as suas palhaçadas, devem estar todos no céu. Se Cristo tivesse sido esperto não teria morrido na cruz.
O bobo é sempre tão simpático que há espertos que se fazem passar por bobos.
Ser bobo é uma criatividade e, como toda criação, é difícil. Por isso é que os espertos não conseguem passar por bobos. Os espertos ganham dos outros. Em compensação os bobos ganham a vida. 
Bem-aventurados os bobos porque sabem sem que ninguém desconfie. Aliás não se importam que saibam que eles sabem.
Há lugares que facilitam mais as pessoas serem bobas (não confundir bobo com burro, com tolo, com fútil). Minas Gerais, por exemplo, facilita ser bobo. Ah, quantos perdem por não nascer em Minas!
Bobo é Chagall, que põe vaca no espaço, voando por cima das casas. É quase impossível evitar excesso de amor que o bobo provoca. É que só o bobo é capaz de excesso de amor. E só o amor faz o bobo.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Guinhoamaneném!

Desde pequeno que crio algum tipo de animal doméstico, em sua maioria gatos. Tenho verdadeira adoração por gatos e toda a sua adorável lábia e classe na arte de conquistar e fazer o que mais gostam, brincar e dormir. Muitos destes felinos passaram por minha vida sem que pudesse datar exatamente sua entrada e saída em minha vida. Eles simplesmente apareciam e sumiam para nunca mais. Com Pink foi diferente, soube exatamente o dia que ela entrou e o dia em que ela partiu, deixando um vazio enorme dentro de casa e na minha alma de menino de interior, agarrado ao gato com os pés no chão. Em seus últimos dias ela me fez refletir na difícil decisão da eutanásia, mas antes que se fizesse, a natureza encarregou-se de fazê-la partir. Poucos dias antes de sua partida, lembro que cheguei bem perto dela, que deitada me olhava, e tentei passar-lhe passividade, nesse momento confuso. Tenho certeza que ela entendeu. Agora só restou uma forte impressão de que a qualquer hora ela chegará no meu quarto para dormir ao meu lado ou que miará autoritária pedindo comida e água fresca.

Indelicado....Você acha?

Vez ou outra parece que entramos numa vibe retrô e começamos a vasculhar os baús. Nessa onda de customizar e repaginar o antigo, sem tirar o seu charme, está a Gina Indelicada, o Quaker Conselheiro e o Velho Quaker Indelicado. No Facebook atualmente essa é a onda. Curioso é que uma ideia boa termina gerando clones e mais clones (alguns bem ruins). Uma boa ideia termina gerando bons negócios também, a empresa Rela Gina que antes queria a caveira do estudante do 3º semestre de publicidade, Ricck Lopes, que deu vida a Gina Indelicada, agora já pensa em uma parceria com ele.

Um novo vingador, um novo futuro.

Frenético. É isso que posso dizer do novo Vingador do Futuro. 
Esqueça Marte. Marte é assunto para o Robô Curiosity atualmente. No novo Vingador do Futuro a questão política gira em torno da disputa entre as duas ultimas regiões habitáveis do planeta, a Federação Unida da Bretanha e a Colônia, antiga Austrália. O Arnold Schwarzenegger é vivido agora pelo Colin Farrell, que não é uma máquina de músculo como o anterior, mas possui uma entrega física tão boa quanto. Sua interpretação na busca do "quem eu sou?", é tão convincente que me deu aflição. As longas sequências de luta entre ele e a Kate Beckinsale, sua esposa no início do filme, que logo se mostra principal algoz, são de tirar o folego. Por sinal as longas sequencias de luta e perseguição são tão longas que fica evidente o enchimento de linguiça. Kate Beckinsale, esposa do diretor do filme, corre, salta, pinta e borda, tem uma força impressionante que difícil crer que não tenha um homem como dublê em suas cenas. Os efeitos especiais são ótimos e a trilha sonora também não deixa a desejar (Ragazzo tá me fazendo ter o ouvido bom para esses detalhes). Assisti o primeiro em 1990 e gostei ao ver que o atual se prende a pouca coisa do anterior, praticamente uma nova estória. A Rekall continua suas atividades, como na primeira versão. Oferecendo memórias e experiências as mais variadas, é só escolher. Com tantos elogios talvez seja contraditório dizer que a versão com Schwarzenegger é superior ao atual, mas saí do cinema com essa impressão. Contudo, trata-se de um filme de ação e, sendo prático, ele atende bem ao que se pede: tem tiros, explosões, lutas e dá margem a continuações da saga. O futuro ao vingador pertence.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Sou eu mesmo, pode chegar!

Não sei ao certo, se minha ascendência em Gêmeos, se meu sol em Leão, se meu transtorno bipolar ou minha tendência a hiperatividade, embora o deficit de atenção de que sofro, mas já notou que vivo mudando o layout e design do blog?
Tem hora que entro no blog e me dá um abuso de vê-lo sempre com a mesma cara. Ai, mudo tudo e pronto. As vezes erro feio, as vezes acerto, mas mudo e pronto. Por isso não se espante, sou eu mesmo. O mesmo Uomo de sempre, cada vez mais Uomo, cada vez mais eu mesmo...chega junto vai!

Seu pai morreu...

Enquanto alguns utilizam de lâmpadas fluorescentes para expressar toda sua agressividade em ataques homofóbicos, outros tentam inovar. Um empresário americano, Frank Mandelbaum, deixou uma herança de U$ 180 mil  para seu filho, Robert Mandelbaum. Robert tem 47 anos e é juiz da Corte Criminal de Manhattan (Nova York). Contudo, em testamento Frank exigiu que, para receber a herança, Robert precisaria case-se com uma mulher. Detalhe, a mulher em questão é a que fez barriga de aluguel para Robert que é casado com outro homem, Jonathan O'Donnell. Como se não fosse suficiente a posição do patriarca, a viúva apoiou a posição anti-gay do falecido. Robert tenta contestar na justiça a posição do pai e liberar o valor destinado para o neto de Frank. A advogada de Robert alega: "Está claro que o Frank queria era forçar o filho a casar-se com uma mulher". 

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Se eu fosse um peixinho...

Sempre quis ter um aquário. Agora eu consegui, e melhor, com peixes na cor que eu quero. Você tbm pode me ajudar a dar comida a eles, é só clicar neles. Quer ter um tbm? clica aqui oh... ;)

domingo, 19 de agosto de 2012

Um simples giro

Assisti a 360, novo filme de Fernando Meirelles e na minha opinião é um filme simples. Fernando Meirelles em entrevista disse trata-se de um dos mais simples de sua carreira. Tão simples que é gostoso de ver. O filme conta com artistas de peso como Anthony Hopkins, Jude Law e Rachel Weisz (que trabalhou com o diretor em O Jardineiro Fiel), mas nenhum desses são protagonistas ou ganham maior tempo em tela. No filme o protagonista mesmo é o momento de reflexão que cada um dos 11 personagens vivem em suas vidas e que está ligada ao desejo e ao amor. As relações que vivem e como vivem estas relações. Como antagonista na estória está as regras impostas pela sociedade e pelas religiões. O que é certo ou errado?; o que é pecado ou ético? Dicotomias que levam cada personagem a buscar o melhor caminho a seguir quando este se bifurca. Embora tenha colocado que não há protagonistas na estória, desde que cada uma das nove estórias mantem sua individualidade, Maria Flor é um gostoso espetáculo a parte para se ver na tela grande. Timidamente parece encher a tela com sua graciosidade. Outro "gostoso" espetáculo é o Juliano Cazarré, que protagoniza uma cena para lá de bonita e quente com Rachel Weisz, mas some logo em seguida. Além destes outra atuação marcante é do ator Jamel Debbouze (que como lembrou o Ragazzo, trabalhou em O Fabuloso Destino de Amélie Poulain). Outro ponto alto do filme é a trilha sonora, de um bom gosto refinadíssimo. Senti meu coração se derreter todo ao escutar "Mente ao meu coração" na voz de Paulinho da Viola. Por fim 360 é um ótimo filme porque fala da vida e aborda reflexões e questões atuais de maneira enxuta sem desbancar para o melodrama. 




quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Eu tenho mais de 20 anos


Quando eu tinha uns 15 anos, eu pedi a Deus para morrer antes de completar os 20. Na verdade eu tinha medo da carga de responsabilidades e da postura que a idade viria a exigir de mim. Fazer 20 anos seria assumir posturas e atitudes as quais eu não gostaria. Mas parece que Deus esqueceu do meu pedido ou não levou ele muito a sério e inadvertidamente quando me dei conta eu havia chegado aos 25. Ao olhar para trás pude perceber que os 20 havia chegado e não tinha exigido nada além do que eu tinha para dar. Observei também que sempre fui um adulto preso no corpo de uma criança e que tornar-me adulto era um momento de liberdade, que até então não tinha desfrutado. E nesse momento eu levei uma conversa séria com Deus e pedi para ele esquecer de uma vez por toda o meu pedido. Confesso que passei a ter mais cuidado ao atravessar a rua e evitei alguns esportes radicais. Até que desencanei e quando me dei conta tinha feito 30 anos. Foi nesse momento que eu pirei o cabeção.
30 anos, puta que pariu! Como assim?!
Ai não tive outra alternativa, fui obrigado a procurar ajuda psicológica. Tudo culpa de uma ideia preconceituosa de uma geração antes da minha. Cresci acreditando que aos 30 anos, estaria na metade da vida e que esta deveria está praticamente estabilizada, profissionalmente e sentimentalmente. Orá, meu pai com 30 anos já tinha 3 filhos e era casado, além de possuir um emprego estável. Olhei para mim e vi um recém formado, sem emprego, sem filhos, solteiro, morando com os pais e psicologicamente me sentindo com 25 anos de idade. É ou não é para pirar?!
Não sei qual a linha que a psicóloga usou, se junguiana, comportamental ou psicodrama. Sei é que ela olhou para mim e na minha cara disse: Uomo, volta pra base e deixa de frescura! Parece que resolveu. Porque quando fiz 30 anos uma urgência de ser feliz tomou conta de mim. Eu precisava ser feliz como nunca tinha sido e para isso eu precisava mergulhar dentro de mim e poder ler todas as cartas que escrevera na infância. Trazer a tona todos os medos, colocar na mesa tudo que sou e tudo que me tornei. O que queria realmente continuar a ser e por a baixo todas as mascaras que não mais queria em mim. Quando fiz 30 anos eu precisei começar a ser, para ver o que eu tinha conseguido ter. 
Hoje faço 35. Não voltei ainda desse mergulho, mas já voltei muitas vezes a superfície para respirar e pude perceber que quanto mais mudo meu mundo interno, mais meu mundo externo entra em um redemoinho louco de mudanças e acontecimentos que me forçam a sair do meu chão. Não me vejo tão experiente, embora sinta-me mais maduro, mais safo. Hoje faço 35 e o melhor presente é saber dos amigos que fiz nesse caminho. Que alguns se tornaram irmãos de alma e ficaremos para sempre juntos. Que muitos outros ainda me farão ver novos mundos e experimentar novos sabores. E quando menos perceber...eita olha eu com 40.
Ontem de manhã quando acordei, olhei a vida e me espantei...eu tenho mais de 20 anos!

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Intolerância

Ando tão cheio de afazeres que alguns fatos tem ocorrido e praticamente não tenho tido conhecimento. Não que a mídia não faça o seu papel de informa, a culpa é minha que não tenho feito o meu papel de me atualizar. Fiquei sabendo hoje, por exemplo, que a mais ou menos uma semana atras um bando de evangélicos tentaram invadir um centro de umbanda em Olinda. Fui tentar saber algo sobre o fato e encontrei esse vídeo, onde mostra o episódio. As imagens foram feitas pelo filósofo e babalorixá Érico Lustosa, que em entrevista chegou a dizer ter sido ameaçado por um dos revoltosos que afirmou ser evangélico, mas também era um ex-matador. Segundo Érico, o vídeo já mostra a saída dos revoltosos que antes tentavam forçar o portão como se quisessem invadir. O babalorixá acredita que o evento tenha ligação com os fato ocorrido em Brejo da Madre de Deus. O vídeo foi motivo de inúmeros protestos por internautas. Ao assistir, não me veio outra imagem na cabeça que não a de uma época medieval onde a caça as bruxas levavam inocentes à fogueira. Ao mesmo tempo, me veio a imagem de uma população ingenua e incrédula que não se poupou em crucificar o Cristo. Imagens longínquas, mas que deu a impressão de que o tempo não tinha passado. Olhando essas imagens, algumas perguntas me vem a cabeça: Quem afinal quer instalar uma ditadura? Afinal de contas, o Brasil é um estado laico ou estão escondendo da população que nosso Pais já foi dado como forma de dizimo a um pequeno grupo de evangélicos? Afinal de contas onde fica a tolerância religiosa? O que esse grupo de evangélicos fundamentalistas querem?  
  

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Encontro fora de hora

Alguém poderia explicar o motivo da grade da Globo no período da tarde ser tão engessada?
Vejamos, antes tínhamos o Mais Você, com a Ana Maria Braga ocupando quase toda a manhã, com um pequeno espaço para o desenho da criançada. Depois, empresaram um pouco a grade e colocaram o Bem-Estar, com a Mariana Ferrão e o Fernando Rocha, e a TV Globinho logo em seguida. Agora, temos o Mais Você, o Bem-Estar e Encontro com Fátima Bernardes. Enquanto isso, a tarde se arrasta longa com um Vale a Pena Ver de Novo que parece nunca acabar e tomar todo o resto da tarde e entrar pela noite, seguida de uma Sessão da Tarde e do teste de atores da Globo, Malhação.
E porque toco nesse assunto? 
Por que não entendo como fazem uma sacanagem dessa com a Fátima Bernardes!
Ela terminou a semana de estreia do programa com metade do IBOPE do primeiro dia, e motivos não faltam para tal. Primeiro que a Fátima ainda tá verde e não se encontrou no programa e no horário, parece ainda está apresentando o JN. Por mais que a Fátima se esforce (e isso é visível) para deixar tudo mais leve, fazendo o telespectador quase sentir a brisa fria do vento sobre a relva verdejante em mais um dia que começa, o programa cai como um elefante. Os assuntos em debates, embora relevantes, acredito serem pesados para quem acaba de acordar ou está apenas começando o dia. Pior que tudo leva a crer que o programa foi feito para ser exibido a tarde, é só ver pelo cenário, pela iluminação, pelo figurino da própria e pela forma como o programa é conduzido. Não duvido que o programa foi feito para ela e que com mais algum tempo, as coisas entrarão no seu eixo. Por enquanto minha opinião sobre o programa é: chato e pesado! 

quarta-feira, 27 de junho de 2012

E ignorância tem cura?

Tem certos assuntos que aparecem no cenário de notícias, que custo a acreditar. É o tipo de assunto que não faz muito sentido, parece não está acontecendo, mas é verdade. Amanhã o Congresso Nacional irá discutir sobre o projeto da "cura gay". Você não leu errado, é isso mesmo. O autor do projeto é o deputado João Campos (PSDB-GO) e procura suspender dois decretos do Conselho Federal de Psicologia que trata da posição do profissional quanto ao assunto "homossexualismo" e define a orientação como transtorno. Para debater o assunto, foi convidada a psicóloga cristã Marisa Lobo. Para quem não a conhece, Marisa tem defendido publicamente a conversão de orientação sexual, pratica que o Conselho Federal de Psicologia proíbe.
Agora vejam em que pé estamos.
O Conselho Federal de Psicologia, que regulamenta o papel de atuação do profissional proíbe a pratica, mas a bancada evangélica do Congresso Nacional, tenta criar um projeto de lei que suspende os dispositivos. Pior, o autor do projeto afirma que o Conselho extrapolou seu poder de regulamentar, restringindo o papel de atuação dos profissionais. Dá para acreditar numa coisa dessas?!

Na contra mão dessa conversão, o estudante de Serviço social da UnB, Luth Laporta publicou um vídeo (aqui) que anda correndo as redes sociais e mobilizando o Twitter com a campanha "Marisa cura meu heterossexualismo" que está no Trending Topic's Twitter, ou um dos assuntos mais comentados na Rede. Usando a hashtag #curemeuheterosexualismo, o garoto anda infernizando a vida a psicóloga.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Quantas Voltas mais esse Travolta pretende dar?

Desde criança aprendi que mentir é feio e como um bom menino sempre optei pelo caminho da verdade. Entretanto, a vida logo me fez ver que mentir é feio, mas a verdade não é para todos e muitas vezes omitir (esconder a verdade, que não é mentir!) vale muito mais a pena, desde que evita-se sofrimentos desnecessários e pode-se até poupar vidas. Com mais alguns anos de vida e um pouco mais de maturidade, continuo achando que mentir é feio, mas não deve ser pecado. E falar a verdade é um ato de coragem, muito mais do que um ato de virtude. No meio de tudo isso, acredito que todos nos temos nossas mentiras e segredos e esses são de nossa mais pura responsabilidade.
Os tabloides norte-americanos publicaram uma entrevista com uma ex-secretária do John Travolta em que a mesma afirma que o ator teve um caso de seis anos com o piloto particular. Os rumores sobre a homossexualidade do ator não são novidades. Em 1990 o ex-ator pornô Paul Barresi afirmou ter dito um caso com o ator. Em 2006 os tabloides flagraram ele dando um beijo nO babá da família e recentemente o John foi acusado de assédio por dois massagistas.
Mentir é feio, mas não ter coragem para assumir certas verdades é muito mais feio. Pior, inventar uma vida de mentira envolvendo outras pessoas para manter uma ilusão é tão pior e mais feio que simplesmente mentir. Fico profundamente revoltado com esse tipo de covarde, que não assume sua homossexualidade escondendo-se atrás de esposas e filhos em um conto da família feliz. Consigo perfeitamente compreender ao ver homens que não vivem sua orientação de forma aberta e livre por medo de preconceito, seja por parte da família ou pelo lado profissional. Mas, são dignos e sinceros o suficientes para não usar de sentimentos alheios tentando esconder sua orientação como se fosse algo anti-natural. O preconceito é fato e embora muito já se tenha conquistado em abertura para esse debate, muito ainda falta para que isso seja pleno. 
Nem sei se a Kelly Preston (atual esposa do John) tem conhecimento do outro lado da moeda do marido. Se souber menos mal, mas caso esteja de palhaça nessa estória o John é quase digno de apedrejamento em praça pública por fundamentalistas Taliban.

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Eu apoio!

Estou meio sumidinho do blog não é mesmo?
Pois então, esse ano não tem sido muito fácil para mim e além de pouco tempo que tenho para dedicar ao meu cantinho virtual, confesso que pouca coisa tem me estimulado a escrever. É fase! Contudo, estava eu circulando por ali e acolá e me deparei com esse vídeo e fique estimuladíssimo. O vídeo foi lançado no último dia 30 - mais conhecido como ontem - e já teve mais de 13 mil acessos. Ele foi produzido pela Google Brasil e trata-se de depoimentos de funcionários e até do atual presidente do Google Brasil,  Fabio Coelho, em apoio ao casamento igualitário. Ao contrário de alguns vídeos de apoio a causa, onde só homossexuais dão seu depoimento. Nesse vídeo, casais heteros se mostram também indignados com essa sociedade tão desigual nessa questão. Alguns depoimentos são muito legais, com tiradas do tipo "eu sou mulher e eu sou homem, mas podia ser diferente". Que muitas outras iniciativas como essas possam surgir e aumentar o coro dos que já gritam: Eu apoio!  

terça-feira, 29 de maio de 2012

Shame

Neste último final de semana, fui assistir Shame. Tinha ouvido tantas boas críticas sobre o filme que lógico fiz questão de conferir se era tudo aquilo mesmo. Até comentários os mais variados sobre o "dote" do ator Michael Fassbender me deixou curioso. Saí da sala de exibição sem ter um conceito formado sobre o filme, excerto que chega a ser quase enfadonho, de tão lento. Entretanto, não poderia ser de outra maneira. Não se trata de nenhum filme de ação, mas de um processo psicopatológico do personagem, que piora quando ele ver sua privacidade invadida por sua irmã. Shame segue num crescente do desespero e agonia de Brandon (Michael Fassbender) de procurar suprir algo que não é preenchido dentro de si, e por isso mesmo se embrenha numa busca por mais e mais sexo. O cara para satisfazer seus desejos pornográficos apela para todo lado, homem e mulher. Interessante que essa satisfação pornográfica fica bem clara no filme, desde que é visível sua inabilidade com questões mais profundas como relação a dois. O filme possui enquadramentos lindos, alguns diálogos muito bons. Não sei muito bem explicar, mas achei o filme como se preso a uma linha ou forma que o deixou meio inflexível e talvez por isso mesmo o filme é seco, frio e cru. Contudo, posso concluir tratar-se de um bom filme, caso contrário não estaria a lembrar do filme e de ficar associando como certas cenas explicam outras cenas e assim por diante, até agora. Ah e quanto ao "dote" do Michael Fassbender, nem dá pra ver direito, embora as cenas de nu frontal e do close de câmera.

domingo, 1 de abril de 2012

O golpe

"Pai, afasta de mim esse cálice, de vinho tinto de sangue. Entretanto Pai, minha dor é perceber que apesar de termos feito tudo o que fizemos, ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais".

Há 48 anos, instaurava-se no Brasil o Regime de Ditaduta que perdurou mais ou menos uns 20 anos. Nasci no final desta página triste de nossa história, mas sempre fui um curioso no assunto. Adorava ouvir meu avô contar as estórias sobre o regime. Por sinal, depois que ele faleceu que vim descobrir que na madrugada de 01 de abril de 1964, meu avô não havia dormido, rezando pela instauração do regime autoritário, com medo dos comunistas. É engraçado que escutava essa estória entre aliviado e desconfortável. Meu avô pode não ter sido pego pelos comunistas, mas muitas mães choram até hoje a vida de seus filhos que sumiram nos porões do DOI-CODI. Quantas mentes foram caladas, quantas vidas foram ceifadas, quanta dor, lágrima e revolta. Na adolescência colecionava encartes de jornal que falavam sobre o assunto. Por sinal, no jornal de hoje não li nada a respeito, nenhum encarte ou uma pequena nota sobre o assunto. A nova geração parece ser completamente alheia a essa página. A impressão que tenho é que 1964 é um épico filme antigo do qual ninguem mais se interessa. E acredito que não vale a pena mesmo tá revirando defunto, embora não podemos ser displicentes de nossa história. Ao abrir meu email agora pela manhã, vi um anúncio do Portal Curtas sugerindo alguns curtas sobre a época. Depois vou dar uma olhada, acho que vale a pena assistir. Graças a Deus, vivemos é um outro momento da nossa história. As ditaduras deixaram de ser um regime interessante, embora sejam realidades em alguns países. Execramos o "Ai se eu te pego" do Michel Teló, sem nos darmos conta que hoje cantar esse refrão é algo banal e democratico, quando a quarenta anos atrás era o suficiente para passar dias no pau de arara. 

quinta-feira, 8 de março de 2012

Essa foi boa...

Essa eu vi no blog do Luciano Guimarães e A-D-O-R-E-I. Trata-se de uma campanha contra a homofobia. Concordo plenamente que por trás de um homofóbico existe uma biba louca doida para se libertar.

domingo, 4 de março de 2012

New age!

Quando eu era um pré-adolescente, lembro que certa vez passou um filme que continha cenas homoafetivas entre dois homens. Recordo, que meu pai entrou na sala e me viu assistindo o filme e logo foi tirar satisfação com minha mãe, que não viu o menor problema em estar assistindo ao tal filme. De todo modo, não cheguei a ver o final do filme, meu pai simplesmente desligou a televisão e me botou para cama. Nem lembro do título do filme e nem se ele continha alguma cena muito picante. Contudo, a algum tempo atrás, um filme que tocasse no assunto "homoafetividade", era considerado "pesado" (assim era como chamavam os filmes com conteúdo "impróprio"). Sou de uma epóca que gay na televisão sempre foi sinônimo de subserviência, promiscuidade e sem direito a final feliz. O tempo passou e hoje acho engraçado quando vejo, uma ferrenha crítica vinda de vários segmentos da sociedade, quando um personagem gay de alguma novela foi proibido de beijar alguem, porque a censura não achou de acordo. Mais curioso ainda é a enxurrada de personagens homoafetivo que invade as novelas, filmes e sériados. Vivemos realmente outros tempos e oxála em breve viveremos tempos ainda melhores. Enquanto o Poder Executivo e Legislativo prefere se render as chantagens e argumentos de alguns falsos cristãos de Bíblia em punho e rabo preso, o Poder Judiciario trata de por pingo nos "is" e definir os rumos de uma sociedade mais igualitária. Sorte tem a Maria Tereza que nasce no meio de uma importante transformação dentro do conceito de família. Coragem e amor tem o casal Mailton e Wilson os pais da pequena Maria Tereza e o primeiro casal homoafetivo a ter o direito de registrar um filho por meio de reprodução assistida no Brasil. Os novos tempos chegaram.

quinta-feira, 1 de março de 2012

Girl Gone Wild

Madonna lançou nesta segunda-feira a segunda música do seu novo trabalho MDNA. A música atende pelo nome de Girl Gone Wild, que você pode curtir logo abaixo. Madonna inicia uma turnê mundial a partir de maio em Israel, vai para América do Norte em agosto e até o final do ano ela dará a graça de fazer um show em terra Brazilis.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Polícia para quem precisa de polícia

video
Dizem que ela existe 
prá ajudar!
Dizem que ela existe 
prá proteger!
Eu sei que ela pode
te parar!
Eu sei que ela pode 
te prender!

É com essa música dos Titãs que começo o post de hoje. Para falar que dois jovens, um turista de Belo Horizonte e o outro, universitário recifense, foram abordados com violência por um PM lotado no posto policial instalado no Cais de Santa Rita. O caso aconteceu esta manhã quando os dois estavam em um grupo de 10 pessoas aguardando um ônibus, na volta para casa. Segundo, um dos jovens, o policial teria batido com o cacetete em uma lata de lixo, exigindo que o casal parasse de se beijar. Em seguida, de acordo com o estudante, o PM teria começado a agredir o casal verbalmente. Uma amiga dos jovens, uma estudante de 25 anos, teria se manifestado e o policial teria retirado as algemas, ameaçando prendê-la por desacato à autoridade e chamando reforço policial. Os jovens denunciaram o policial e o caso esta sendo investigado pela Delegacia de Rio Branco, no Recife Antigo. Em entrevista os jovens disseram-se indignados com a atitude do policial e pretendem levar o caso a corregedoria da Polícia Militar.
Mais do mesmo, infelizmente. Acho lamentável que episódios como esses ainda ocorram. Curioso, que estava em Olinda e no vai e vem das ladeiras encontrei um casal de turistas que estavam preocupados se podiam se beijar (isso existe!?). O que é um beijo, se não um gesto de carinho. Faço a mesma pergunta que a amiga do casal fez (no vídeo): Policia para que? Para quem? Não entro nem no mérito da discussão "Hetero pode, Homo não pode". Para mim é uma discussão vazia que entra num cladograma sem sentido. Abusos de autoridades como esse devem ser denunciados. Não quero botar mais fogo na fogueira, mas do mesmo modo que ocorreu em São Paulo deveria ocorrer aqui. Quando um casal foi expulso de uma lanchonete por estarem se beijando e como protesto foi feito um beijaço em frente a lanchonete. Até onde eu saiba, beijar não é pecado ou contra a lei... ou é?!
Fonte: Pernambuco.com

domingo, 12 de fevereiro de 2012

One moment in time

Quando eu estava nos USA, agora recentemente, teve um dia em que me bateu uma forte saudade de casa e botei o CD da Whitney Houston para tocar. Sei que fiquei lá, curtindo aquela saudade ao som de "Run to you", "One moment in time" e por ai vai. Até que atinei para procurar notícias da mesma (confesso que não sou de ficar procurando me atualizar sobre vida de famosos). Assustei-me ao ver que aquela mulher linda e de voz espetacular tinha descido uma ladeira sem freios. A bebida e as drogas fizeram da estrela, um fragmento de meteoro que se espatifou na terra. Contudo, as últimas notícias davam que Whitney estava se curando após várias entradas em clínicas de reabilitações e embora um pouco mais "fortinha", dava sinal de conseguir superar os dias de horror. A verdade é que certos caminhos é preferível que não sejam percorridos, por mais que a curiosidade aguce. A cantora havia afirmado que embora se sentisse atraída pela droga, confiava em Deus para superar a maior tentação de sua vida. Na noite deste sábado foi noticiado sua morte. Ela teria sido encontrada morta em um quarto de hotel, onde estaria sozinha. A causa da morte ainda não foi divulgada e uma autopsia será realizada neste domingo. A atriz e cantora deixa um filme a ser lançado em agosto deste ano, além de uma carreira tão inacreditavel quanto sua voz. 

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

AIDS ainda mata!

Dá uma olhada nessas três campanhas do Ministerio da Saúde para o carnaval 2012:

Alguem vê algo errado? Algo fora do normal? Alguma coisa que esteja fora da vida real?
Eu não vejo nada, mas o Ministerio da Saúde tá achando muito pesado e muito provavelmente, seja censurado. Algumas ONG's de militancia gay, estão apelando para as autoridades não levarem a censura a sério. Enquanto o preconceito cega e satisfaz ao ego hipocrita de alguns, a AIDS continua matando os desavisados de plantão. 

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

il bello non è un peccato



Então, desde 2003 o Vaticano publica o seu calendário anual. O intuito é fazer divulgação sobre o Vaticano aos viajantes que visitam ou pretendem visitar, Roma. Em cada folhinha vem uma foto e no verso alguma informação sobre o Vaticano com algum dado sobre o passado ou presente.
Eu só não consigo entender é ao invés de imagens de anjinhos barrocos, santos em estilo Renascentista, paisagens da natureza ou imagem do próprio Bento XVI, o Vaticano prefere colocar imagens de padres, que com toda licença, é de deixar qualquer beata afim de ajoelhar para rezar. A quem o Vaticano engana? Tolinhos...

Queen

Acabei de ver o show que a Madonna fez durante a Super Bowl, no jogo entre o New York Giants contra o New England Patriots, pela Liga de Futebol Americano. Prefiro não tecer nenhum comentário, peço que assistam e tirem suas próprias conclusões.

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Vamos começar os trabalhos?!

Já em terras brasileiras a um mês, Uomo volta a atualizar seu cantinho virtual. E o que não falta é assunto para debater e comentar. Esse é um ano complicado para mim, onde estarei fechando um ciclo. Logo, talvez longas ausências sejam necessárias. Entretanto, estou de olho e não tardarei a postar alguma coisa.
Agora... ao trabalho!!!

Ajudante

Então... essa semana assisti Historias Cruzadas (The Help). O filme que estreou no ultimo dia 03 de fevereiro, já levou o Globo de Ouro de melhor atriz coadjuvante (Octávia Spencer) e ultimamente mais três prêmios pelo Sindicato de Atores dos Estados Unidos (SAG), melhor atriz para Viola Davis, melhor atriz coadjuvante para Octavia Spencer e melhor elenco, e ainda esta indicado em três categorias ao Oscar desse ano.
O filme emociona, condena, faz rir, mas tudo muito timidamente, tão timidamente que ao final fiquei querendo saber qual seria a proposta da diretora Tate Taylor: fazer um drama onde condena a segregação entre brancos e negros ou fazer comédia da relação entre patroas e empregadas em tempos de segregação racial nos EUA? Não sou crítico de cinema, apenas um expectador da sétima arte, mas acho que a diretora preferiu ficar em cima do muro e não mexer em vespero. Embora o filme seja narrado por Viola Davis (Aibileen) e o filme gire meio em torno dela, quem rouba a cena é realmente Octávia Spencer (Minny). O filme me fez lembrar das inúmeras "ajudantes" que tive em minha casa quando criança, e acredite não foram poucas. No decorrer do filme pude lembrar da relação que tinha com elas e de que certa vez, tive a ousadia de chamar uma delas de "a empregada" na frente da minha mãe. Isso me custou um tapa bem dado na boca, tão bem dado que mordi a lingua, e uma lição de moral: "Empregada não, ela tem nome igual a você!" Mamãe sempre fez questão de ter uma relação muito próxima com todas, eram praticamente da família. E quando por algum motivo, ocorria de alguma "pedir as contas", lembro que era como se perdessemos também alguém muito querido. Ao ver Emma Stone (Skeeter) tomando conhecimento das estórias das empregadas, pude lembrar das tardes no quintal da casa onde morava, onde sentavamos no chão e escutava aquelas mulheres contar suas estórias de amores mal resolvidos, suas paixões platônicas, de famílias destroçadas pelo alcool, de madrastas, de coragem em recomeços.