sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

FELIZ ANO NOVO!!!

Adoro as Tiras do Euricéfalo (recomendadíssimo) e procurando uma forma de deseja um feliz ano novo, achei essa tirinha.
Uomo deseja um ano de 2011 cheio de muitas boas surpresas!!!

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Reveillon

Para quem está pensando em passar a virada do ano na orla a Prefeitura do Recife preparou uma série de atrações musicais e a tradicional queima de fogos no Pina e Boa Viagem. Em Boa Viagem, a festa fica por conta das bandas Eddie, Fim de Feira e Paralamas do Sucesso. Já no Pina, quem dá o tom é Karina Spinelly, Samba Pernambucano, Martinho da Vila, além da Orquestra do Maestro Duda com a participação especial de Nena Queiroga. Dado o sucesso da Torre de DJs instalada na Avenida Boa Viagem na Virada do Ano de 2009 com os DJs da festa Sem Loção, este ano, a Prefeitura do Recife mantém o projeto e ainda acrescenta mais uma torre com o som da festa Trash Dance. Desta forma, serão duas torres, uma localizada em frente à Padaria Boa Viagem e outra entre os hotéis Palace e Othon.
No Cabanga Iate Club quem comanda a festa é Ivete Sangalo. O Circo Maluco Beleza (Graças) a festa é por conta de Nação Zumbi, Movéis Coloniais, Del Rey e Dj 440 e se vc ainda está indeciso o Forte das Cinco Pontas tem o Up Party com os DJs Asllan e Fepa no line up – considerados como os tops dos tops da cena eletrônica paulista, com o que há de melhor nas batidas do estilo house, progressive, tribal e club.
As dicas estão ai, agora é só preparar o champagne e cair na farra.

UOMO

Último dia 24/12 Uomo fez oito meses. Ainda é um bebê, mas a oito meses atrás depois de tantas iniciativas frustradas de iniciar um blog, enfim demos o ponta pé inicial. Oito meses depois, assunto não faltou e vemos que blogar não é tão complicado assim. Nada além do que um diário, no qual eu divido com muita gente (e bote muita gente nisso!). Aos poucos fui pegando o jeito da coisa e notando o que era interessante escrever. Sempre com algum post sobre filme, uma pitada de dança e teatro, alguns poucos desabafos e reflexões e pronto o blog mês a mês tinha algo novo pra acompanhar. Se no início tinha aspirações grandiosas de tornar o blog uma grande febre internética (modestia é minha caracteristica marcante), hoje esse é apenas um local onde posso escrever sobre aquilo que gosto e me interessa. 
Está comandando essa odisseia do Uomo me fez crescer tbm. O blog me fez ficar mais antenado com o mundo, afinal precisava ler pra não postar besteira (embora tenha feito isso aos montes). E ler sem preconceito, ler de tudo. Observar o que era blogado em outros blogs, o que era interessante ou simples futilidade, o que revistas e jornais traziam, o que me tornou mais politizado com relação a determinados assuntos e a ter uma opinião formada sobre tantos outros.
Desejo ao Uomo mais um ano de muitos assuntos, com muitas dicas de baladas, espetáculos e post que possam fazer refletir e entender o mundo.
Aos que acompanham o Uomo um 2011 de muita luz. 
Agente se esbarra por aqui e por ai...

domingo, 26 de dezembro de 2010

Adeus ou até breve?

"Saio do governo para viver a vida das ruas... Homem do povo que sempre fui, serei mais povo do que nunca, sem renegar meu destino e jamais fugir da luta... Onde houver um brasileiro sofrendo, quero estar espiritualmente ao seu lado. Onde houver uma mãe e um pai com desesperança, quero que minha lembrança lhes traga um pouco de conforto. Vivi no coração do povo e nele quero continuar vivendo até o último dos meus dias."
Foi com frases emblemáticas e carregadas de emoção que Lula fez seu depoimento de despedida no último dia 23/12/10. O discurso foi gravado em uma biblioteca do Palácio do Planalto na manhã da última segunda-feira (20). Escrito pelo publicitário João Santana (mentor da campanha de Dilma), foi o mais longo e emocionado pronunciamento à nação feito por Lula em oito anos de governo: cerca de 11 minutos. Segundo assessores próximos da Presidência, Lula chegou a chorar e interrompeu a gravação, que foi ao ar às 20h em rede nacional de rádio e televisão.
Os avanços da economia brasileira deram a linha do último pronunciamento. Lula não chorou. Mesmo assim, os números dividiram espaço com o tom sentimental das palavras. Ele lembrou a origem humilde e popular.
Lula, termina dois mandatos com vitórias e derrotas, acertos e desacertos. O presidente conseguiu se blindar contra as críticas. Sua desastrada defesa do Irã e outras ditaduras fez com que ele perdesse credibilidade entre os países sérios, e enterrou de vez suas já remotas chances de assumir a chefia da ONU. O Brasil de Lula resistiu ao que foi considerado a segunda maior crise do capitalismo da história. Uma crise que ainda agora está dragando as economias da maior potência econômica do mundo, os EUA, e da segunda maior potência econômica, a UE. Os escândalos dentro do governo e da cúpula do PT pode-se dizer foram seu calcanhar de Aquiles, o qual ele preferiu dizer não saber de nada. A era Lula deixará um grande legado para nossos historiadores. O governo Lula foi empurrado para esquerda apenas a partir da escalada golpista sob o factóide do mensalão. Talvez sua maior vitória tenha sido eleger a presidenta Dilma que ao que tudo indica, se mostra mais tenaz, valente, coerente e focada que Lula. O que nos leva crer que não será apenas a preservação das conquistas, mas efetivamente a chance de avançarmos muito além. Agora, com a Dilma, tudo indica que podemos almejar em breve uma taxa de crescimento a altura do povo brasileiro.
Na próxima terça-feira dia 28/12/2010 o presidente Lula virá a Pernambuco para sua despedida em uma grande festa no Marco zero da cidade. Eu não creio muito em despedida, vejo Lula como um Getúlio dos tempos modernos e dentro de pouco tempo, teremos novidades. 
Por hora, até breve Lulinha! 

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

The first Christmas

Hoje é Natal. São 21:30hs da noite e provavelmente daqui a alguns minutos ou horas, Ragazzo estará chegando em minha casa para nosso primeiro Natal juntos. Parece bobagem, mas por vários motivos não é algo tão bobo assim, acredito que pra quem vive do lado dos ditos "diferentes" e por isso mesmo vive uma vida muitas vezes mascarada, camuflada não é algo tão bobo assim ter seu namorado(a) em uma noite de Natal no seio da família. Principalmente levando em consideração que não temos uma situação oficial pra todos da família (tanto minha, como dele), mas oficiosa. Sabem que entre nos existe uma amizade muito grande, embora prefiram se portar dentro do regime don't ask, don't tell! Procuro entender o lado de todos e como também não vejo necessidade de dar muita conta da minha vida, as coisas ficam dentro de uma normalidade fingida. Não é a melhor situação, preferia algo sem tantas mascaras, omissões e mentiras, mas can't reclaim.
Conheci o Ragazzo no começo do ano e já temos nove meses de namoro, parece pouco, mas relações homoafetivas (como ele gosta de dizer) são sempre muito fortes e intensas, logo nossos nove meses mais parecem anos de relação. Não será a primeira vez dele em minha casa, embora não seja o lugar onde possamos ficar muito a vontade, na casa dele ficamos mais.
Ele acaba de me ligar, disse que estava chegando (meu coração tá quase saltando pela boca)...
Feliz Natal!

(Atualizando em 26/12/2010)

Fui buscá-lo e parecia ser visível a minha apreenção e ansiedade. Mesmo assim, tentei parecer calmo como se nada estivesse ocorrendo. Engraçado que antes de abrir a porta, ele me perguntou:
- Espera, com que cara eu entro? O que eu digo? Como vai ser? Já chegou todos?
Parecia uma metralhadora de interrogações e eu tão nervoso qnto torçia para que alguem me respondesse as mesmas perguntas. Mesmo assim disse:
- Calma, seja natural. Afinal, qual o mal em dois amigos estarem juntos.
Calma?! eu?! ahan...
Contudo, a noite transcorreu naturalmente, sem tantos incovenientes e desconfortos. Já passava das duas da madrugada qndo resolvemos ir dormir. E Papai Noel enfim resolve me dá o presente. Estavamos deitados e ele olhou pra mim e disse:
- Adorei o nosso primeiro Natal juntos, te amo!
Precisa dizer mais alguma coisa...

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Siga aquele carro!

Dúvidas no que fazer neste Natal?
Dando um giro pela agenda cultural da cidade pude notar que tem festa pra todo gosto.
Há aqueles que prefiram ficar em casa com a família e fazer sua propria festa. Entretanto para aqueles que gostam mesmo de cair na farra...
O Patio de são Pedro no dia 24/12 apresenta o Pátio Sonoro com shows de Banda Viruz, Tiger, Zé Brown, Pácua e a Via Sat e Kabessa. De grátis
Na Rua da Moeda o clima é mais cult, com Mombojo, Wado, Guardaloop, A Banda de Joseph Tourton e Etnia. Tbm de grátis.
Tem também o Natal Essential na cobertua do edificio garagem do Aeroporto com Timbalada, Chris Lake e o DJ Rodrigo Guerra. Aos interessados é preciso desembolsar 150 reial homem e 120 reial mulher.
Vários bares e boates da cidade estarão abertos e seguindo a regra da sexta-feira atóla o pé na jaca não foge da lei.
Dá uma olhada no link abaixo e se programa.
http://www.agendarecife.com/ 

Ainda tenho dúvidas no que fazer... Agente se esbarra!

E é moda é?!

Estava em casa sem fazer nada, era umas 17:30hs. Nada me atria na TV, nada suficientemente interessante, até que algo me fez parar os olhos na Globo.
-E pra assistir o quê?
-Malhação!
Eu sei que talvez dormir fosse uma forma mais saudável de manter alienado da realidade mas, algo me chamou atenção e foi justamente o tema abordado, homofobia.
O episódio começou com um cara sendo espancado por ser gay e o amigo que tinha vergonha dele vindo salvá-lo. A partir de então o debate em volta do tema se desenrrola. Pra minha surpresa, desde questões como piadinhas e comentários sobre gays, a forma como os pais encaram a orientação sexual dos filhos até a questão de se os homossexuais devem andar com o rabinho entre as pernas ou dar a cara pra bater e exigir seu lugar no mundo, foi debatido plena cinco da tarde na grande poderosa Globo.
No momento estava com minha mãe (fã da série) e ela olha pra mim e pergunta:
- É moda é essa estória de ser gay?!
Sorri.
Na verdade não é moda. Acredito é que essa geração jovem que ai está, tem  pressa pra tudo, até pra ser feliz. E embora, corra-se o risco de levar uma lâmpada fluorescente na cara, a galera quer mais é dar beijo na boca e ser feliz. E não estão nem dando importância se o Bento XVI gosta ou não gosta, se tem uma bancada evangélica no Congresso travando a PL122/06 ou se na cabeça de muitos homossexualismo é doença. Sei que não é de hoje que a Globo, permeia suas novelas e séries com relações homossexuais, mas pela primeira vez vejo falar do assunto de forma séria, sem esteriotipos ou ideias fora da realidade.
Como foi colocado no capítulo de ontem as diferenças devem se impor pra poder exigir seu espaço. Embora o termo "diferença" não me agrade, não vejo porque se omitir de exigir o espaço devido. Logo, não é moda, é só uma forma mais saudável de ver a vida, sem tanto peso e com mais liberdade e igualdade, afinal somos livres e iguais por natureza.


terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Viva o Natal...

Então é Natal... e onde eu me escondo?!
Já foi o tempo que Natal era uma festa adorável e esperada por mim. Cheia de presentes e guloseimas deliciosas onde o Papai Noel chegava e eu estava dormindo e todos diziam, no dia seguinte, tê-lo visto menos eu, mas que mesmo assim ele havia deixado meu presente de Natal. Hoje em dia, luto por alguma cabine subterrânea contra ataques e bombas nucleares, onde eu possa me esconder, mas difícil de encontrar.
Não, não sou tão frio e chato que não me deixe enternecer pelo sentido real da festa, de notar como tudo fica mais iluminado, cheio de brilho e o quanto é importante uma noite pra se vivenciar em família. Mas, é de mim mesmo, acho o Natal uma festa melancólica.
Logo, tento encarar tudo como um dia qualquer, tento transparecer normalidade o que em alguns momentos é impossível. Lojas entupidas de gente, supermercados que mais parece haver uma guerra com pessoas fazendo suprimentos de comida, trânsito mais caótico do que nos dias normais, os caixas eletrônicos com filas de perder de vista e sem contar que 22:00hs pouca coisa ainda funciona o que te obriga a ficar em casa, caso seu problema seja pouca grana (o meu por exemplo!).
Eu e o Ragazzo estamos ainda a combinar. Enfim, não sei ainda como será o meu Natal, só espero sobreviver a tudo. Contudo, desde já desejo que pelo menos vc que lê, tenha um Natal como ele tem que ser... com paz de consciência.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Reflexão...

Sei que alguns blogs já postaram, mas ao ler não me aguentei e fiz questão de postar aqui tbm. Trata-se de um editoral do Dr. Drauzio Varela publicado na Folha de São Paulo. Achei no minimo primoroso e rico de humanismo, ciência e lucidez.

DRAUZIO VARELLA

Violência contra homossexuais

-----------------------------------------------------------
Negar direitos a casais do mesmo sexo é imposição que vai contra princípios elementares de justiça
-----------------------------------------------------------

A HOMOSSEXUALIDADE é uma ilha cercada de ignorância por todos os lados. Nesse sentido, não existe aspecto do comportamento humano que se lhe compare.
Não há descrição de civilização alguma, de qualquer época, que não faça referência a mulheres e a homens homossexuais. Apesar de tal constatação, esse comportamento ainda é chamado de antinatural.
Os que assim o julgam partem do princípio de que a natureza (leia-se Deus) criou os órgãos sexuais para a procriação; portanto, qualquer relacionamento que não envolva pênis e vagina vai contra ela (ou Ele).
Se partirmos de princípio tão frágil, como justificar a prática de sexo anal entre heterossexuais? E o sexo oral? E o beijo na boca? Deus não teria criado a boca para comer e a língua para articular palavras?
Se a homossexualidade fosse apenas uma perversão humana, não seria encontrada em outros animais. Desde o início do século 20, no entanto, ela tem sido descrita em grande variedade de invertebrados e em vertebrados, como répteis, pássaros e mamíferos.
Em alguma fase da vida de virtualmente todas as espécies de pássaros, ocorrem interações homossexuais que, pelo menos entre os machos, ocasionalmente terminam em orgasmo e ejaculação.
Comportamento homossexual foi documentado em fêmeas e machos de ao menos 71 espécies de mamíferos, incluindo ratos, camundongos, hamsters, cobaias, coelhos, porcos-espinhos, cães, gatos, cabritos, gado, porcos, antílopes, carneiros, macacos e até leões, os reis da selva.
A homossexualidade entre primatas não humanos está fartamente documentada na literatura científica. Já em 1914, Hamilton publicou no "Journal of Animal Behaviour" um estudo sobre as tendências sexuais em macacos e babuínos, no qual descreveu intercursos com contato vaginal entre as fêmeas e penetração anal entre os machos dessas espécies. Em 1917, Kempf relatou observações semelhantes.
Masturbação mútua e penetração anal estão no repertório sexual de todos os primatas já estudados, inclusive bonobos e chimpanzés, nossos parentes mais próximos.
Considerar contra a natureza as práticas homossexuais da espécie humana é ignorar todo o conhecimento adquirido pelos etologistas em mais de um século de pesquisas.
Os que se sentem pessoalmente ofendidos pela existência de homossexuais talvez imaginem que eles escolheram pertencer a essa minoria por mero capricho. Quer dizer, num belo dia, pensaram: eu poderia ser heterossexual, mas, como sou sem-vergonha, prefiro me relacionar com pessoas do mesmo sexo.
Não sejamos ridículos; quem escolheria a homossexualidade se pudesse ser como a maioria dominante? Se a vida já é dura para os heterossexuais, imagine para os outros.
A sexualidade não admite opções, simplesmente se impõe. Podemos controlar nosso comportamento; o desejo, jamais. O desejo brota da alma humana, indomável como a água que despenca da cachoeira.
Mais antiga do que a roda, a homossexualidade é tão legítima e inevitável quanto a heterossexualidade. Reprimi-la é ato de violência que deve ser punido de forma exemplar, como alguns países o fazem com o racismo.
Os que se sentem ultrajados pela presença de homossexuais que procurem no âmago das próprias inclinações sexuais as razões para justificar o ultraje. Ao contrário dos conturbados e inseguros, mulheres e homens em paz com a sexualidade pessoal aceitam a alheia com respeito e naturalidade.
Negar a pessoas do mesmo sexo permissão para viverem em uniões estáveis com os mesmos direitos das uniões heterossexuais é uma imposição abusiva que vai contra os princípios mais elementares de justiça social.
Os pastores de almas que se opõem ao casamento entre homossexuais têm o direito de recomendar a seus rebanhos que não o façam, mas não podem ser nazistas a ponto de pretender impor sua vontade aos mais esclarecidos.
Afinal, caro leitor, a menos que suas noites sejam atormentadas por fantasias sexuais inconfessáveis, que diferença faz se a colega de escritório é apaixonada por uma mulher? Se o vizinho dorme com outro homem? Se, ao morrer, o apartamento dele será herdado por um sobrinho ou pelo companheiro com quem viveu por 30 anos?